Carregando...

‘Só eu sou eu’ ♫ 17 músicas infantis sobre ser diferente

Cada um tem um tamanho, uma cor, um jeito. Somos todos diferentes, mas também todos iguais em direitos. Vamos celebrar as músicas que enaltem a diversidade
Músicas infantis sobre ser diferente Arte Lunetas
  • Publicado em: 18.09.2018
  • Atualização: 01.10.2018
da Redação

Muito além de simples entretenimento, as músicas podem ampliar e muito o repertório de conhecimento das crianças – de si próprias e do mundo. Pensando isso, listamos 17 músicas infantis sobre ser diferente, sobre acolher o outro como ele é e nos aceitar como somos. Canções que ajudam a combater o bullying, o preconceito e a intolerância, investindo na formação de indivíduos mais conectados com a importância das diferenças que nos unem.

As letras apresentam outros mundos possíveis, personagens e histórias que circulam muito além dos padrões de beleza e comportamento que tantas vezes aprendemos a cobiçar desde a infância. Tudo isso pode provocar nas crianças tanto empatia e identificação quanto estranhamento, quando se trata de algo que ela ainda não conhece. E é daí que nasce o respeito.

A curadoria dessa seleção não é só do Lunetas, mas sim coletiva. Para montar essa lista, entramos em contato com a produção dos artistas, que nos ajudaram a resgatar de seu repertório composições que enaltecem a diversidade e celebram a beleza de cada um ser como é.

Arraste as cadeiras e o sofá, chame as crias e aproveite a playlist 😉

1. “Só eu sou eu” – Marcelo Jeneci e Arthur Nestrovski

“Tem muita gente tão bonita nessa terra
Nas minhas contas são sete bilhões
Mais eu

Tem Ronaldinhos e rainhas da Inglaterra
Mas nada disso muda que só eu sou eu

Só eu sou eu
Só eu sou eu
Além de mim não tem ninguém que seja eu

Vem cá, menina
Vem brincar comigo
Que outra criatura igual jamais nasceu
Vem cá, menino
Vamos lá, juntinhos
Ainda bem que a gente é
Você e eu

Você e eu
Você e eu
E cada um é cada um
E cada eu”

Ouça a versão de “Só eu sou eu” da banda infantil Fadas Magrinhas:

2. “A maior palavra do mundo” – Tom Zé (do álbum “Sem você não A”)

“A maior da palavra é ‘eu’
Eu eu eu eu, digo eu
Eu eu eu eu, digo eu
Simplesmente eu

A maior da palavra é ‘eu’
Eu eu eu eu, digo eu
Eu eu eu eu, digo eu
Simplesmente eu

O eu entra pelo chão
É tão gigante e grandão
Que o mundo é um pigmeu
diante de um simples ‘eu’

E não se sabe como
No mundo já tem tantos ‘eus’
Cada ‘eu’ que mora no mundo está dentro
De um milhão de eus

A maior da palavra é ‘eu’
Eu eu eu eu, digo eu
Eu eu eu eu, digo eu
Simplesmente eu

Porém, sem ajuda do u
O ‘e’ só pode não ser
Letra que não tem vizinha
Morre falando sozinha

Se a fé precisa do L
I Z
Para ser feliz
Você precisa de que?
Eu preciso de você”

3. “Ser diferente é normal” – Vinicius Castro (Grupo CRIA)

“Todo mundo tem seu jeito singular
De ser feliz, de viver e de enxergar
Se os olhos são maiores ou são orientais
E daí, que diferença faz?

Todo mundo tem que ser especial
Em oportunidades, em direitos, coisa e tal
Seja branco, preto, verde, azul ou lilás
E daí, que diferença faz?

Já pensou, tudo sempre igual?
Ser mais do mesmo o tempo todo não é tão legal
Já pensou, sempre tão igual?
Tá na hora de ir em frente:
Ser diferente é normal!
Ser diferente é normal!
Ser diferente é normal!
Ser diferente é normal!

Todo mundo tem seu jeito singular
De crescer, aparecer e se manifestar
Se o peso na balança é de uns quilinhos a mais
E daí, que diferença faz?

Todo mundo tem que ser especial
Em seu sorriso, sua fé e no seu visual
Se curte tatuagens ou pinturas naturais
E daí, que diferença faz?

Já pensou, tudo sempre igual?
Ser mais do mesmo o tempo todo não é tão legal
Já pensou, sempre tão igual?
Tá na hora de ir em frente:
Ser diferente é normal”

4. “Cada um é o que é” – Hélio Ziskind

Seja assim
ou seja assado
cada um é o que é

Quem não tem cão
caça com gato
quem tem pé fino
usa sapato

Nasci assim
não foi porque eu quis
de qualquer jeito
eu vou ser feliz

Palma palma palma
pé pé pé
caranguejo não é peixe
cada um é o que é

Mesmo o ser mais diferente
de todo o reino animal
num lugar inesperado
vai achar alguém igual”

5. “Ciranda da bailarina” – Chico Buarque

“Procurando bem
Todo mundo tem pereba
Marca de bexiga ou vacina
E tem piriri, tem lombriga, tem ameba
Só a bailarina que não tem

E não tem coceira
Verruga nem frieira
Nem falta de maneira
Ela não tem

Futucando bem
Todo mundo tem piolho
Ou tem cheiro de creolina
Todo mundo tem um irmão meio zarolho
Só a bailarina que não tem

Nem unha encardida
Nem dente com comida
Nem casca de ferida
Ela não tem

Não livra ninguém
Todo mundo tem remela
Quando acorda às seis da matina
Teve escarlatina
Ou tem febre amarela
Só a bailarina que não tem

Medo de subir, gente
Medo de cair, gente
Medo de vertigem
Quem não tem

Confessando bem
Todo mundo faz pecado
Logo assim que a missa termina
Todo mundo tem um primeiro namorado
Só a bailarina que não tem

Sujo atrás da orelha
Bigode de groselha
Calcinha um pouco velha
Ela não tem

O padre também pode até ficar vermelho
Se o vento levanta a batina
Reparando bem, todo mundo tem pentelho
Só a bailarina que não tem

Sala sem mobília
Goteira na vasilha
Problema na família
Quem não tem
Procurando bem
Todo mundo tem”

6. “Olha que eu viro bicho” – Parampampam

“Tem gente que bicho gosta
Tem bicho que gosta da gente
Tem gente que viro bicho
Tem bicho que vira gente
Cada um tem um bicho dentro que é o seu próprio talento
Bicho grilo, bicho vento
Um bicho pra cada momento
Eu já me senti uma onça
Eu um grande jacaré
Uma pequena sabiá
E eu a galinha Lelé
Quem consegue ver de fora
Os bichos que vem de dentro
Encontra sempre outros bichos
Chamados de sentimento
Olha que eu viro bicho”

7. “Cocoricó no Velho Oeste” – Hélio Ziskind

“Havia antigamente na América do Norte
uma fazenda chamada Alabama
lá vivia um caubói.

nos Estados Unidos
cow é vaca, boy é rapaz
caubói: o rapaz da vaca

aqui no Brasil ele seria vaqueiro
lá, era caubói, caubói, caubói

e o caubói tava lá
cuidando da vaca
quando de repente chegou

um homem mau
grandão, fortão,
gritou para o caubói
-ô baixinho, me dá um leite aí!

o bandido bebeu glp glp glp
e o caubói ofereceu uma banana

e o bandido respondeu
– ô minúsculo, me dá essa banana!

o bandido comeu
bateu na pança
arrotou, cuspiu
mas não viu
a casca da banana
que o caubói jogou no chão

e o homem mau olhou pra vaca e disse
– eu quero essa vaca pra mim

não!

e o caubói fingiu que sim e disse
então vamos amarrar

um passo e iááá…
o bandido escorregou na casca da banana
e o caubói rapidamente o amarrou
e o levou para prisão do Alabama

nem sempre vence o mais alto
nem sempre vence o mais forte

às vezes o mais esperto
vence com a força do pensamento

quando o dia acabou
na fazenda Alabama,
o caubói no seu cavalo
foi ver o pôr do sol

com a sua gaita
ele fez a introdução…

de uma linda canção
pra sua namorada

ó Suzana não chores assim…
eu gosto de você
e você gosta de mim

ó Suzana não chores assim…
eu gosto de você…
e eu gosto de capim…

the end
significa fim
ou ié”

8. “Gente tem sobrenome” – Toquinho

“Todas as coisas têm nome
Casa, janela e jardim
Coisas não têm sobrenome
Mas a gente sim

Todas as flores têm nome
Rosa, camélia e jasmim
Flores não têm sobrenome
Mas a gente sim

O Chico é Buarque, Caetano é Veloso
O Ari foi Barroso também
E tem os que são Jorge, tem o Jorge Amado
Tem outro que é o Jorge Ben

Quem tem apelido, Dedé, Zacarias
Mussum e a Fafá de Belém
Tem sempre um nome e depois do nome
Tem sobrenome também

Todo brinquedo tem nome
Bola, boneca e patins
Brinquedos não têm sobrenome
Mas a gente sim

Coisas gostosas têm nome
Bolo, mingau e pudim
Doces não têm sobrenome
Mas a gente sim

Renato é Aragão, o que faz confusão
Carlitos é o Charles Chaplin
E tem o Vinícius, que era de Moraes
E o Tom Brasileiro é Jobim

Quem tem apelido, Zico, Maguila
Xuxa, Pelé e He-man
Tem sempre um nome e depois do nome
Tem sobrenome também”

9. “Toda criança do mundo – Ruth Rocha e Hélio Ziskind

Seja pobre, seja rica,
seja grandona ou nanica,
mulata, ruiva, amarela,
seja bonitinha ou feia
de trança ou touca de meia
use sapato ou chinela…

Seja branca ou seja preta
de seda ou de camiseta
com diploma ou sem escola
triste, alegre ou boazinha
que goste de amarelinha
ou goste de jogar bola…

Seja indiazinha do mato
não goste de usar sapato
caeté ou cariri
caipira ou da cidade
diga mentira ou verdade
em português ou tupi.

More em casa ou num barraco
coma na mão ou no prato
viva lá… no fim do mundo
durma na cama ou no chão
toda criança do mundo
mora no meu coração.
toda criança do mundo
mora no meu coração”

10. “Errar é humano” – Toquinho

“Não, não é vergonha, não,
Você não ser o melhor da escola,
Campeão de skate, o bom de bola ou de natação.
Não, não é vergonha, não,
Aprender a andar de bicicleta
Se escorando em outra mão.

Não, não é vergonha, não,
Você não saber a tabuada,
Pegar uma onda, contar piada, rodar pião.
Não, não é vergonha, não,
Precisar de alguém que ajude
A refazer sua lição.

A vida irá, você vai ver,
Aos poucos te ensinando
Que o certo você vai saber
Errando, errando, errando.

Não, não é vergonha, não,
Ser da turma toda o mais gordinho,
Ter pernas tortas, ser bem baixinho ou grandalhão.
Não, não é vergonha, não.
Todos sempre têm algum defeito,
Não existe a perfeição.”

11. Beautiful Creatures – Barbatuques (Composição: André Hosoi / Renato Epstein / Taura Stinson)

“Let’s come together, singing love and harmonia
We are so different, but the same inside our hearts
Beautiful colors, just as far as the eyes can see ya
Open your wings, fly when you hear the call

Let’s celebrate,for we are beautiful creatures
Come spread your wings, dance
And sing songs about freedom

Like lah lah lah hoo hoo
One for the jungle família
Like bah bah bah boo boo
Calling the beautiful creatures

Come this way celebrate
Laugh and dance all the way
Follow me sing along
Lah lah bah bah boom boom

Já disse que jade chegou
Já disse que já disse que jade chegou
Já disse que jade chegou
Já disse que já disse que jade chegou

Pap-pap, I am the pap-pap
I am the tchh I am your pap-pap
I am the pap-pap-pap, tchch pap-pap-pap
I am the pap-papy the tchhhchhc pap!

Let’s celebrate, for we are beautiful creatures
Come spread your wings, dance
And sing songs about freedom
Like lah lah lah hoo hoo
One for the jungle família
Like bah bah bah boom boom
Calling the beautiful creatures”

12. “Coloridos” – Palavra Cantada

“Eu sou o rosa
Eu sou o amarelo
Eu sou o verde
Eu sou o vermelho
Eu sou o carmim
Eu sou o roxo
Eu sou o azul
Eu sou o laranja
Eu sou o marrom, lilás, vermelho, amarelo, verde, rosa
Somos coloridos

Somos de todas as cores
E as cores não tem fim
Para tocar nossos tambores
Coloridos são assim!

Somos de todas as cores
Cada cor é uma beleza
Para cantar, pular, dançar
Em homenagem a natureza!

Somos todos coloridos
Para pular e para brincar
E subir, subir, subir
Pintar e colorir o ar!

Somos todos coloridos
Para pular e para brincar
E descer, descer, descer
Escorregar e desmanchar

Eô! Eô!
Coloridos!
Eô! Eô!
Coloridos!
Eô! Eô!

Se você gostou da gente
Você pode ajudar!
Seja como um colorido
Com vontade de pintar!

Somos como gotinhas, gotinhas unidas
Gotinhas amigas, gotinhas batuqueiras
Nós gostamos de bagunça
Vamos nessa brincadeira!

Coloridos!
Coloridos!
Coloridos!
Coloridos!”

13. “Todos juntos” – Os Saltimbancos

“Uma gata, o que é que tem?
– As unhas
E a galinha, o que é que tem?
– O bico
Dito assim, parece até ridículo
Um bichinho se assanhar
E o jumento, o que é que tem?
– As patas
E o cachorro, o que é que tem?
– Os dentes
Ponha tudo junto e de repente vamos ver o que é que dá

Junte um bico com dez unhas
Quatro patas, trinta dentes
E o valente dos valentes
Ainda vai te respeitar

Todos juntos somos fortes
Somos flecha e somos arco
Todos nós no mesmo barco
Não há nada pra temer
– Ao meu lado há um amigo
Que é preciso proteger
Todos juntos somos fortes
Não há nada pra temer

Uma gata, o que é que é?
– Esperta
E o jumento, o que é que é?
– Paciente
Não é grande coisa realmente
Prum bichinho se assanhar
E o cachorro, o que é que é?
– Leal
E a galinha, o que é que é?
– Teimosa
Não parece mesmo grande coisa
Vamos ver no que é que dá

Esperteza, Paciência
Lealdade, Teimosia
E mais dia menos dia
A lei da selva vai mudar

Todos juntos somos fortes
Somos flecha e somos arco
Todos nós no mesmo barco
Não há nada pra temer
– Ao meu lado há um amigo
Que é preciso proteger
Todos juntos somos fortes
Não há nada pra temer

E no mundo dizem que são tantos
Saltimbancos como somos nós.”

14. “Normal é ser diferente” – Grandes Pequeninos/Jair Oliveira

“Tão legal, ó minha gente!
Perceber que é mais feliz quem compreende
Que a amizade não vê cor, nem continente
E o normal está nas coisas diferentes

Amigo tem de toda cor, de toda raça
Toda crença, toda graça
Amigo é de qualquer lugar
Tem gente alta, baixa, gorda, magra
Mas o que me agrada é
Que o amigo a gente acolhe sem pensar

Pode ser igualzinho à gente
Ou muito diferente
Todos tem o que aprender e o que ensinar
Seja careca ou cabeludo
Ou mesmo de outro mundo!
Todo mundo tem direito de viver e sonhar

Você não é igual a mim
E eu não sou igual a você
Mas nada disso importa
Pois a gente se gosta
E é sempre assim que deve ser”

15. “Tem gente: Mundo” – Paulo Brandão / Luiz Eduardo Ricon

“Tem gente que nasceu na China,
tem gente que nasceu no Peru.
Tem gente que come feijão com arroz
Tem gente que come peixe cru.

Tem gente que fala espanhol
tem gente que fala japonês
tem gente que fala alemão
francês, inglês ou português.

Mas se esse mundo é tão grande,
e nele ninguém é igual,
gostar do que é diferente
faz a nossa vida mais legal”

16. “Como é bom ser diferente” – Marcelo Serralva

“Como é bom ser diferente
Imagina só se a gente
Fosse todo mundo igual
Isso não seria legal

Um fraco, o outro é forte
Um mora lá no Sul
O outro lá no Norte

Um é feio
O outro bonito
Não importa
Ele é seu amigo

Diferente de mim
Diferente de você
Eu agora sou feliz
Porque pude perceber
Eu tenho um amigo
E sei que ele é diferente

Um é gordo
O outro é magro
Um é alto
O outro é baixo

Um é preto
O outro é branco

Um enxerga,
O outro nem tanto”

17. “A diferença é o que nos une” – Mundo Bita

“Para ver melhor amigo use o coração
Enxergar o que é belo sem usar a visão
Pare pra escutar que no silêncio há uma canção
Deixa bater no peito o tambor da vibração

Quem disse que não podemos?
Nunca duvide de nós!
Somos especiais, quase super-heróis

Nosso corpo fala preste muita atenção
Não precisa palavra pra comunicação
Tantas são as formas de cruzar a imensidão
Demonstrando pro mundo nossa superação

Quem disse que não podemos?
Nunca duvide de nós!
Somos especiais, quase super-heróis
Quem disse que não podemos?
Nunca duvide de nós!
Somos especiais, quase super-heróis

Um pouco de carinho e de bondade
Pra ver que a diferença é o que nos une de verdade
E mesmo sendo assim ou sendo assado
O amor se multiplica e se espalha por todo lado”

Leia mais:

Abra as orelhas: 20 bandas para ampliar o repertório das crianças

Resumo

Listamos 17 músicas infantis sobre ser diferente, sobre acolher o outro como ele é e nos aceitar como somos. Canções que ajudam a combater o bullying, o preconceito e a intolerância.
Ir para o início
Alguma dica ou sugestão? Encontrou um erro? Clique aqui e compartilhe com a gente!

Tenha Lunetas no seu e-mail ou WhatsApp