Filme ‘Brincar em Casa’ mostra o brincar livre durante a pandemia

Uma série de lives movimenta o lançamento do filme com os principais achados da pesquisa do Território do Brincar sobre brincadeiras no isolamento domiciliar
Divulgação/arte Lunetas
  • Publicado em: 22.03.2021
da Redação

A vida lá fora foi reduzida a uma janela e os ambientes da casa foram os únicos espaços possíveis para o brincar no último ano. No entanto, esse também foi um período oportuno para novas descobertas. Dentro de casa, um brincar espontâneo favoreceu explorações, investigações, expansão e experiências em diferentes cômodos. 

A partir destas observações, o Território do Brincar, projeto de pesquisa do Instituto Alana, lança hoje (22/3), o média-metragem “Brincar em Casa”, de Renata Meirelles e David Reeks, que está disponível gratuitamente no Videocamp, na seção “Assista Agora“.

Além de relatos de famílias de diversos contextos e países sobre como as crianças brincam e das reflexões realizadas pelos pesquisadores, visando encontrar sincronicidades (ritmos, rotinas e interesses), recorrências de gestos, ações e aspectos singulares que evidenciam a resiliência e a espontaneidade do brincar dentro de casa durante a pandemia, o filme traz uma cena vivida entre a diretora e seu filho, mostrando a cumplicidade que criaram para conseguir atravessar tempos de tantas incertezas. 

Lives sobre “Brincar em Casa”

Para apresentar a nova produção, diretores e pesquisadores do Território do Brincar participam de três lives no canal do YouTube do Instituto Alana.

  • 31/3, quarta-feira, às 19h30 – “Escutas para o brincar livre: do campo ao isolamento”. Com participação dos diretores David Reeks e Renata Meirelles, e coordenadores do Território do Brincar. Os convidados comentarão o processo da pesquisa Brincar em Casa e as produções do filme e da série de podcast.
  • 6/4, terça-feira, às 15h30 – “A cidade virou casa: espaços, tempos e relações do brincar”. O encontro abordará como foi adaptar o processo de pesquisa do brincar nas cidades para o brincar em casa. Com participação de Gabriel Limaverde, educador e pesquisador das infâncias; Lia Mattos, documentarista, produtora cultural, antropóloga e arte-educadora e Soraia Chung Saura, professora na Escola de Educação Física e Esporte e da Faculdade de Educação, ambas da Universidade de São Paulo (USP).
  • 14/4, quarta-feira, às 19h30 – “Brincar na pandemia: a força do espontâneo”. Com participação de Elisa Hornett, educadora e pesquisadora da infância; Sandra Eckschmidt, doutora em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina, e Reinaldo Nascimento, terapeuta social, educador físico e psicopedagogo. Os convidados mostrarão como foi adentrar a espontaneidade das crianças, a partir das conversas com as famílias em isolamento social, e o que o fenômeno do brincar espontâneo nos diz para além de uma pandemia.

A partir da pesquisa, também foi lançado um podcast, resultado das escutas on-line realizadas com as mesmas famílias que participaram do filme. Ao todo, foram entrevistadas 55 famílias – sendo 25 delas na cidade de São Paulo, 11 em outras cidades brasileiras e 18 em outros países, como África do Sul, Estados Unidos, Peru, Malawi, Alemanha, Suíça, Inglaterra, Itália, Argentina, Índia, Moçambique, Bélgica e México.

Leia mais

Como aproximar as crianças da natureza durante a quarentena?

Resumo

Resultado de uma pesquisa com 55 famílias durante a pandemia, o filme “Brincar em Casa” revela as potencialidades do brincar explorando cômodos da casa. Acompanhe também uma série de lives sobre os achados dessa investigação.
Ir para o início
Alguma dica ou sugestão? Encontrou um erro? Clique aqui e compartilhe com a gente!

Tenha Lunetas no seu e-mail

Últimos posts