Rodas de Leitura: projeto reforça lado social da literatura

Literatura infantojuvenil: uma mãe com o seu filho aparecem nesta fotos juntos olhando o mesmo livro iStock/arte Lunetas
  • Publicado em: 10.07.2020
da Redação

O papel social da literatura infantojuvenil ganha espaço de expressão em um projeto que promove o encontro virtual de escritores com crianças e jovens da rede pública de ensino da Favela da Malacacheta, no Morro do Alemão, Rio de Janeiro.

Em formato adaptado para o virtual, as Rodas de Leitura acontecem em encontros semanais durante três meses. A partir de escritores escolhidos pela curadoria do projeto, professores especializados promovem a mediação em torno das obras direcionadas a faixas etárias específicas (5 a 8 anos; 9 a 12; e 13 a 21 anos), com comentários e eventual provocação para os participantes escreverem sobre o texto lido. Todos recebem um exemplar do livro trabalhado, além de um kit lanche. A interação com os autores acontece no último encontro de cada ciclo e será aberta ao público com transmissão ao vivo pela fanpage do evento.

A intenção é ajudar na formação cultural enquanto as escolas permanecem fechadas durante a pandemia e muitos pais precisam se ausentar para cumprir rotina de trabalho em serviços essenciais, além de buscar combater a vulnerabilidade social por meio da ação cultural e da democratização. Além do projeto de leitura, há uma campanha em curso para arrecadar cestas básicas para as cerca de 120 famílias que se encontram em dificuldade financeira.

Confira a programação e acesse a página do evento para acompanhar:

Público infantil Bia Bedran, Cabeça de Vento. O livro traz a história de um menino que fica chateado quando sua mãe o chama de “cabeça-de-vento”. Para ele, o vento é gostoso demais para ser usado como xingamento. A partir daí, ele lembra uma série de coisas boas relacionadas ao vento, subvertendo o significado da palavra e levando o leitor a passear pela sua imaginação. Com mediação da professora Amália Mattos, fonoaudióloga e especialista em tecnologias da educação, e da professora Sandra Felix, que atua com educação infantil.
Público pré-adolescente Daniel Munduruku, Meu Vô Apolinário. O livro narra parte da vida do autor e a descoberta de suas raízes indígenas através dos ensinamentos de seu avô Apolinário, um velho índio da tribo Munduruku, que contava histórias dos espíritos ancestrais, reforçando a importância da perseverança. Com mediação da artista Elenice Nogueira e de Vera Lúcia, escritora e professora.
Público jovem Conceição Evaristo, Olhos D’água. O livro de contos destaca a população afro-brasileira, abordando a pobreza e a violência urbana que a acometem. Os personagens são evocados em seus vínculos e dilemas sociais, sexuais, existenciais, numa pluralidade e vulnerabilidade que constituem a condição humana. Com mediação da professora Monique Ferreira.

Com apoio da Lei de Incentivo à Cultura do Governo Federal, o projeto Rodas de Leitura é uma parceria entre a Associação Nagai e o Instituto Estação das Letras (IEL), que completa 25 anos de história. Criado na década de 1990, a intenção é formar uma comunidade leitora a partir de atividades em grupos e do contato com a literatura infantojuvenil.

Aviso

As informações acima são de responsabilidade do organizador do evento e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

Tenha Lunetas no seu e-mail