‘Ei, você!’: um livro para fortalecer o orgulho de ser negro

A edição brasileira da obra homenageia treze personalidades negras do país, de Gilberto Gil a Taís Araújo
Divulgação/Arte Lunetas
  • Publicado em: 06.01.2022
da Redação

“Nas histórias que eu lia e assistia, ninguém dizia que meu cabelo crespo, solto e volumoso era igual a uma coroa, nem que a minha pele preta era linda, nem que meus antepassados eram inteligentes, nem que meu nariz era bonito”, conta a atriz Taís Araújo, que assina a contracapa de “Ei, você! Um livro sobre crescer com orgulho de ser negro”. Escrito pelo ilustrador britânico-nigeriano Dapo Adeola, o livro apresenta um retrato diverso de figuras negras potentes para os pequenos se espelharem e acumularem recursos para enfrentar o racismo, com ilustrações de 20 artistas de diversos lugares do mundo.

Na versão brasileira, traduzida pelo escritor Stefano Volp, treze personalidades de diversas áreas são homenageadas: Gilberto Gil, Elza Soares, Machado de Assis, Dandara, Zumbi dos Palmares, Conceição Evaristo, Milton Santos, Lélia Gonzalez, Marielle Franco, Benedita da Silva, Sueli Carneiro, Maria Firmina dos Reis, Lima Barreto e Taís Araújo. As páginas exploram a relação com a ancestralidade e a resistência coletiva, mostrando para os pequenos leitores a importância de honrar mulheres e homens que construíram um legado de luta antirracista ao longo da história.

“Você é a extensão de um nobre legado. Você compartilha sua cor com incontáveis gerações de gênios, criadores, líderes e grandes pensadores”

“Ei, você! Um livro sobre crescer com orgulho de ser negro”, Dapo Adeola e Stefano Volp (Companhia das Letrinhas) O livro acompanha a jornada de um bebê, passando por seu nascimento, crescimento e socialização. Por meio de uma educação afetiva, frases como “você é muito amado” e “como é bom te receber” são ditas para a criança sempre que possível, de modo a construir possibilidades de fortalecimento para os pequenos responderem aos desafios de uma sociedade desigual. Ao homenagear diversas personalidades negras, a obra traz referências próximas e possíveis para inspirar a criação de pretinhos e pretinhas confiantes.

“Raramente havia pessoas negras no centro das histórias, na posição de heróis. Escrevi este livro na esperança de que ele possa ajudar as futuras gerações de crianças negras a se sentirem fortalecidas e vistas” – Dapo Adeola

Para inspirar futuros possíveis

“Ei, você!” nasceu como uma resposta aos eventos de 2020: os protestos globais que despontaram após a morte de George Floyd e as diversas movimentações negras que mostraram sua força. A proposta do livro surgiu de uma provocação: “Você aí acredita verdadeiramente que pode viver de seus sonhos?”. Para trazer algumas respostas, a solução foi desenvolver essa história como um espaço seguro, afetuoso, esperançoso, e, principalmente, corajoso, construindo um futuro possível para crianças.

Leia mais

Como a falta de representatividade negra afeta todas as crianças?

 

Resumo

“Você compartilha sua cor com incontáveis gerações de gênios, criadores, líderes e grandes pensadores.” O livro “Ei, você!” estimula uma criação afetuosa, inspirando e preparando crianças negras frente um mundo desigual.
Ir para o início
Alguma dica ou sugestão? Encontrou um erro? Clique aqui e compartilhe com a gente!

Tenha Lunetas no seu e-mail