Carregando...

Desafio Inova Escola premia projetos transformadores em inovação

Professores da rede pública e privada podem inscrever seus projetos no Desafio Inova Escola até 19 de agosto
Inovação no ensino iStock/Arte Lunetas
  • Publicado em: 01.07.2019
da Redação

Já pensou em escrever um projeto que ajude a transformar o dia a dia da sua escola? Se a resposta for sim, você pode se inscrever até o dia 19 de agosto no Desafio Inova Escola, promovido pela Fundação Telefônica. É uma iniciativa que busca incentivar e promover a cultura de inovação no ensino, ajudando a desenvolver competências para o século 21.

Os 25 projetos ganhadores (cinco de cada região do país) serão anunciados durante o 4º Fórum de Inovação Educativa, que acontece em novembro, em São Paulo (SP). As equipes selecionadas receberão seis meses de assessoria técnica para a implementação do plano de inovação na escola e um apoio de até R$ 10 mil.

“Um chamado a todos os educadores e escolas brasileiras de Educação Básica que se proponham a trilhar um caminho para a inovação educativa”

O Desafio Inova Escola entende a inovação educativa como um caminho para a criação de novas respostas para os desafios de qualidade e equidade da educação, com a promoção de oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos e todas, conforme o 4º Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU. (Fonte: Desafio Inova Escola)

Quem pode se inscrever?

De dois a oito educadores da rede pública e privada de todas as regiões do Brasil. Cada equipe precisa contar com, pelo menos, um professor ou professora que atue diretamente na sala de aula. Os outros integrantes do grupo podem ser gestores ou profissionais de outras funções na escola. As escolas podem inscrever mais de uma equipe no desafio.

Na inscrição, as equipes participam de um curso gratuito sobre inovação, com dicas de caminhos a seguir e ferramentas para a construção de um plano de ação duradouro. Após esta etapa, os projetos serão avaliados.

O que é “inovação”?

De acordo com o Desafio Inova Escola, a inovação deve responder a um desafio real vivenciado pelo cotidiano das escolas ou pela comunidade escolar nos mais diferentes contextos regionais do Brasil. Isso inclui necessidades relacionadas ao tempo, espaço, currículo, às relações e práticas.

Além disso, a inovação não deve apenas se concentrar em uma ação pontual, mas em um processo de transformação que gere impactos de longo prazo, tendo continuidade e que possa se tornar parte da cultura escolar. Para que esse tipo de mudança seja alcançada e sustentada, é necessário conhecer a realidade local e priorizar a construção de ações de caráter coletivo e colaborativo.

O ambiente também deve ser propício à inovação. Isso significa adotar metodologias que favoreçam o desenvolvimento das ações desejadas, criando ambientes acolhedores à experimentação e que transformem os erros em oportunidades de aprendizado.

Quem apoia

A iniciativa conta com a parceria da da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura); Undime (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação); Consed (Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Educação) e MIE (Movimento de Inovação na Educação), além de coordenação técnica do Cenpec(Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária).

Leia também:

‘Corações e mentes’ conta a história de escolas transformadoras

 

 

Resumo

Até o dia 19 de agosto, educadores de escolas públicas e privadas podem se inscrever no Desafio Inova Escola. Serão selecionados 25 projetos que ajudem a transformar o cotidiano da educação no país, buscando o desenvolvimento de competências para o século 21.
Ir para o início
Alguma dica ou sugestão? Encontrou um erro? Clique aqui e compartilhe com a gente!

Tenha Lunetas no seu e-mail ou WhatsApp