‘Memorelas’: um jogo da memória para celebrar mulheres históricas

Idealizado pela educadora Joana Schossler, jogo da memória homenageia 15 brasileiras por meio do brincar
Divulgação/Arte Lunetas
  • Publicado em: 18.03.2022
por

Carolina Maria de Jesus, Virgínia Bicudo, Sonia Guajajara e Cecília Meireles: o que elas têm em comum? Seja na literatura, psicanálise ou na política, todas impactaram, impactam e seguirão impactando o Brasil de maneiras diferentes. Elas foram eternizadas em “Memorelas”, um jogo da memória voltado a preservar a importância feminina na história do país. 

Criado pela educadora e historiadora Joana Schossler e ilustrado por Joana Heck, o jogo foi lançado pela Cecerelê e é indicado para crianças a partir de 4 anos. Brincando em casa ou utilizando como material pedagógico na sala de aula, “Memorelas” é um excelente recurso para pensar em como mulheres de diferentes lugares do país têm suas histórias de vida mescladas à história do Brasil.

Construindo caminhos para a visibilidade

“Quem é a mulher brasileira que você admira e pensa que merece ser lembrada?” foi a pergunta que norteou o processo criativo de Joana. Durante a ideação do jogo, Joana se surpreendia com o fato de que muitos nunca tinham parado para pensar na questão, às vezes comentando nomes de homens ou de mulheres estrangeiras. Unindo a indignação com o apagamento feminino, liberdade criativa na escola em que trabalhava em 2017 e a vontade de ter um brinquedo que unisse estética e preocupação pedagógica feminista, o “Memorelas” chegou ao mundo em 2019.

Quinze mulheres brasileiras foram selecionadas para compor a atividade, de diferentes profissões, etnias e classes, em um jogo da memória divertido que tem três maneiras de jogar. Independente da ocupação exercida – cientistas, dançarinas, musicistas ou escritoras -, “as mulheres não tinham visibilidade, então comecei a pensar em profissões em que mulheres, mesmo estando nestes lugares, não eram vistas”, conta Joana, sobre o processo de escolha das homenageadas.

E como brinca?

Com 32 peças, “Memorelas” tem três possibilidades de jogo sugeridas pela autora, mas sinta-se livre para criar a sua.

  • Jogo da memória

Tradicional jogo da memória, em que se embaralham as cartas viradas para baixo. Cada jogador deve, na sua vez, virar duas peças. Caso as figuras sejam iguais, o jogador pontua e retira as peças do local, podendo jogar de novo. Caso sejam peças diferentes, as peças devem ser viradas para baixo novamente e passa a vez para outro jogador. 

  • “Mais ela”

Similar ao jogo do mico, os jogadores devem retirar uma carta, embaralhar as cartas e distribuir entre os participantes, sem sobrar nenhuma. Vão se formando pares de cartas entre as jogadas. Quem não conseguir fazer todos os pares, perde.

  • “Quem é ela?”

Descobrir quem são as 15 mulheres do “Memorelas” é a tarefa do dia: dê as características da mulher escolhida e faça com que os outros participantes tentem adivinhar.

 

Além das brincadeiras sugeridas, o jogo também acompanha um livro de anotações, folhetos que contam a trajetória de cada mulher e uma carta em branco para que a criança desenhe sua própria homenageada.

Leia mais

Livro ‘Extraordinárias’ reúne 40 mulheres que mudaram o Brasil

Resumo

Em “Memorelas”, o brincar oferece a possibilidade de conhecer e se aproximar da trajetória de mulheres históricas.
Ir para o início
Alguma dica ou sugestão? Encontrou um erro? Clique aqui e compartilhe com a gente!

Tenha Lunetas no seu e-mail

Últimos posts