Cariocas criam parque acessível para crianças com deficiência

Projeto de inclusão social desenvolvido por três adolescentes cariocas inaugura o primeiro parque na Barra da Tijuca
iStock/arte Lunetas
  • Publicado em: 28.09.2020
da Redação

Três adolescentes cariocas – Cláudio Palhares e João Roberto Duque Estrada, ambos de 17 anos, e Luiza Ourivio, 18 – criaram um parque adaptado na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, com o objetivo de democratizar o lazer para crianças com deficiência.

O parque piloto é uma iniciativa da AdaptaRio, projeto social criado pelos jovens que sonham em construir parques acessíveis em todos os cantos da cidade – e expandir o projeto a outros municípios. O parquinho foi construído inteiramente a partir de doações, em parceria com a ONG One by One, voltada à inclusão de pessoas com deficiência e em vulnerabilidade social.

 O processo de planejamento dos parques passa por cinco passos:

  • Pesquisa e escolha do local do parque com manutenção acessível
  • Arrecadação de fundos
  • Aprovação da prefeitura
  • Escolha final do brinquedo e transporte
  • Instalação e inauguração

O projeto agora busca arrecadar fundos para expandir os parquinhos em outros lugares do Rio de Janeiro, por meio de financiamento coletivo, parcerias e eventos.

Outras iniciativas de parque acessível

Em São Paulo, o projeto Alpapato – Anna Laura Parques Para Todos – também desenvolve parques acessíveis com financiamento próprio, utilizando recursos lúdicos, integração e desafios para que crianças com e sem deficiência possam compartilhar brincadeiras. Dessa forma, crianças com mobilidade reduzida ou alterações sensoriais e intelectuais têm a oportunidade de brincar de forma segura e ampliar experiências motoras e cognitivas.

O projeto foi criado em Rodolfo Henrique Fischer e o nome da ONG é uma homenagem à sua filha Anna Laura, que morreu precocemente aos quatro anos de idade. 

Resumo

Jovens cariocas criaram um parque adaptado para crianças com deficiência na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro. O objetivo é democratizar o lazer para crianças com deficiência.
Ir para o início
Alguma dica ou sugestão? Encontrou um erro? Clique aqui e compartilhe com a gente!

Tenha Lunetas no seu e-mail