Carregando...

10 dicas para montar a primeira biblioteca do seu bebê

Ler para um bebê não significa tentar alfabetizá-lo, nem investir para que possa escrever mais rápido, e sim criar vínculos afetivos
primeira biblioteca bebe iStock
  • Publicado em: 22.03.2016
  • Atualização: 07.06.2018
da Redação

“Quando meu pai lia para mim, eu me encostava sobre ele e me tornava parte de seu peito e de seus braços. Eu acredito que as crianças que são abraçadas e sentam no colo de seus familiares – sendo deliciosamente acariciadas – sempre associarão a leitura com os corpos dos seus pais, com o cheiro deles. E isso os tornará leitores para sempre. Porque esse perfume e essa ligação duram a vida inteira.”

O depoimento acima de é Maurice Sendak , escritor e ilustrador, autor de um dos clássicos “Onde vivem os monstros” (publicado no Brasil pela extinta Cosac Naify).

Nosso parceiro A Taba, formado por um grupo independente de estudiosos de literatura infantil, preparou algumas dicas para montar a primeira  biblioteca para o seu seu bebê.

Mas antes, lembre-se: ler para um bebê não significa tentar alfabetizá-lo, nem investir para que possa escrever mais rápido e melhor, nem mesmo trata-se de ensiná-lo a nomear as cores ou distinguir os nomes dos animais. Ler para os bebês pode ser uma grande oportunidade para criar experiências estéticas de desenvolvimento da sensibilidade, da criatividade, da inteligência e da imaginação não somente para os pequenos, mas para os adultos também.

Como escolher? Tire suas dúvidas

  • 1. O livro como um brinquedo sensorial

Para os bebês, no início, o livro é apenas um brinquedo que deve ser explorado como outro qualquer. Quando entram em contato com esse objeto, é comum que queiram mordê-lo, sacudi-lo e observá-lo de diferentes maneiras. Por isso, em um primeiro momento, os livros de pano, de banho e cartonados podem ser uma ótima porta de entrada para a formação desses leitores. Mas, não é preciso investir muito neles. Um ou dois volumes com esse formato são suficientes.

  • 2. Respeite a inteligência dos bebês: fuja do óbvio

Evite títulos com imagens estereotipadas e que simplesmente associam um desenho ao nome de determinado objeto. Lembre-se que os livros podem ser um excelente campo para que os pequenos possam experimentar a arte. Para isso, adquira obras que contenham imagens que possam ampliar o repertório estético dos pequenos, com ilustrações criadas a partir de diferentes projetos gráficos e literários, os chamado livros-álbum.

  • 3. Permita-se à nostalgia

Tornar-se pai ou mãe pode ser uma excelente oportunidade para voltar à infância, relembrando as cantigas, canções e parlendas que fazem parte das suas memórias. Livros com esse tipo de texto permitem que os adultos e crianças possam resgatar a cultura oral brasileira, criando momentos de cumplicidade entre as gerações.

  • 4. Elementos de repetição são bem-vindos

Quando aprendem um novo comportamento ou realizam algo que lhes proporciona prazer, os bebês adoram fazê-lo muitas vezes. Por isso, livros com histórias cuja estrutura apresenta elementos de repetição costumam agradar os pequenos. Além disso, como possuem frases e trechos que aparecem muitas vezes, esses textos são facilmente memorizados, tornando as crianças capazes de ler, mesmo sem saber ler convencionalmente.

  • 5. Voz e ritmo são fundamentais

Pesquisam revelam que desde a vida intrauterina os bebês são capazes de escutar e reconhecer a voz dos pais. Essa atenção à entonação, ao ritmo e à sonoridade das palavras se mantém, especialmente na primeira infância, quando começam a falar e se aproximar da palavra escrita. Talvez isso explique porque as crianças muito pequenas apreciam tanto as histórias rimadas.

Leia aqui a lista completa d’ A Taba.

Resumo

A partir de que idade podemos iniciar a leitura de obras com texto? Que títulos são os mais adequados para esse público? tire suas dúvidas com as dicas do A Taba.
Ir para o início
Alguma dica ou sugestão? Encontrou um erro? Clique aqui e compartilhe com a gente!

Tenha Lunetas no seu e-mail ou WhatsApp