Websérie ‘Como fazer’ aborda africanidades na primeira infância

Os episódios trazem temas como yoga kemética, dança materna, amamentação, sexualidade e paternidade preta
iStock/arte Lunetas
  • Publicado em: 23.03.2021
da Redação

A nova temporada da websérie educacional “Como fazer” apresenta a educadores e pais com filhos na primeira infância conteúdos focados em africanidades, pois “é nessa etapa da vida em que as crianças constroem memórias afetivas e socioculturais importantes para sua formação”, acredita Odara Dèlé, educadora responsável pela criação dos conteúdos.

São quatro capítulos inéditos, disponíveis no canal do YouTube e no site oficial, cada um com duração entre 25 a 30 minutos. No primeiro episódio, uma entrevista com a instrutora Karimá Serene explica os benefícios e a importância da yoga kemética, uma prática ancestral africana que trata de desequilíbrios internos como depressão, transtornos alimentares e enfraquecimento do sistema imunológico. No segundo episódio, Priscila Obaci, referência no assunto de dança materna – uma possibilidade de conexão entre o ventre e o mundo a partir do corpo -, responde como inserir a consciência corporal desde a primeira infância. Como discutir diversidade sexual desde a primeira infância é o tema abordado por Elania Francisca, consultora em sexualidade infantojuvenil. Por fim, o artista Jairo Pereira traz à tona como inserir a paternidade preta de forma saudável desde a primeira infância.

Desenvolvida pelo Alfa bantu, coletivo que fomenta o diálogo entre Brasil e África por meio da língua portuguesa, a websérie apresenta reflexões sobre a primeira infância com foco nas culturas africana e afro-brasileira, de modo a se compreender e viver a negritude na sociedade brasileira.

Com seis episódios, a primeira temporada foi lançada ainda no primeiro semestre, tratando temas como consumismo na infância e depressão precoce, e recebeu convidados como Sidnei Barreto, Luciana Braga e Pedro Hartung.

Resumo

A websérie “Como fazer” apresenta temas ligados às culturas africana e afro-brasileira a educadores e pais com filhos na primeira infância.
Ir para o início
Alguma dica ou sugestão? Encontrou um erro? Clique aqui e compartilhe com a gente!

Tenha Lunetas no seu e-mail

Últimos posts