Vamos aprender a fazer um binóculo com rolos de papel higiênico?

iStock/arte Lunetas
  • Publicado em: 28.08.2020
da Redação

Depois de ensinar como fazer uma mala de viagem, um diário de bordo e um mapa, chegou a hora de ver mais longe. O desafio agora é fazer um binóculo com rolos de papel higiênico, customizando-o para observar as coisas já conhecidas de novas maneiras, agregando novos significados. A partir desta sexta-feira (28/8), dá para acessar, pelo site ou pelo YouTube, a aula da educadora Mônica Silva, disponível em Libras e com legendas, mostrando como fazer este objeto fundamental em uma viagem. Além disso, há um material complementar sobre as semelhanças e diferenças do binóculo com a câmera obscura e a câmera lúcida.

Essa atividade é relacionada à Coleção Brasiliana, cujo objetivo é fazer os participantes redescobrirem, com olhar de aventura e curiosidade, o espaço onde vivem. Os diversos itens lá exibidos retratam o país desde a chegada dos colonizadores e percorrem cinco séculos, mostrando algumas histórias do Brasil.

Mais atividades virtuais e gratuitas para as crianças

Além de aprender a fazer um binóculo com rolos de papel higiênico, ainda na grade do IC para Crianças, com atividades voltadas para todos os públicos, mas melhor aproveitadas por crianças de 10 a 12 anos, a novidade é que as aulas de ilustração se transformaram em aulas de criação. A proposta é avançar em busca de ferramentas para que os participantes possam materializar suas histórias, passando do bidimensional à construção de objetos 3D. Confira a programação infantil completa a seguir!

Teatro, aos sábados, a partir das 11h

No sábado (29/8), é apresentada a quinta aula de teatro, de uma série de 10, idealizada pelo Núcleo de Artes Cênicas da organização e ministrada por Thaís Póvoa, que propõe um dos temas mais conhecidos do teatro, brincar de ser outra coisa ou pessoa.

Dança, às quartas-feiras e domingos, a partir das 11h

No domingo (30/8), a bailarina e artista docente Carol Polloni, em sua terceira aula, desenvolve, no aquecimento corporal, movimentos retos e redondos tornando o corpo livre e flexível. Com um pratinho de festa, ela vai ensinar o movimento assemblé, do balé clássico. Na quarta-feira (2/9), o professor e bailarino Orun mostra alguns movimentos básicos da dança maracatu, uma das manifestações tradicionais populares mais antigas, que mescla referências africanas, indígenas e portuguesas. 

Vivências musicais, às segundas-feiras, a partir das 11h

Na segunda-feira (31/8), a cantora, percussionista, compositora e educadora musical Cris Bosch mostra como é possível transformar utensílios domésticos (colheres, panelas, chaves, sacos plásticos, canecas, xícaras) em instrumentos de percussão. Para isso, investiga com o público os sons da cozinha e de outros espaços da casa.

Criação, às terças e quintas-feiras, a partir das 11h

Em sua estreia, na terça-feira (1/9), o artista e educador Lucas Lopes explora a construção de pequenos cenários de papel e papelão. A partir da silhueta de um corpo humano, ele constrói dentro dela uma casa com camadas de papel sobrepostas, brincando com a possibilidade poética do corpo ser um cenário imaginário. Já a proposta de Cris Miguel, na quinta-feira (3/9), é construir bonecos de pano e papel. Ela vai ensinar a fazer um coelhinho com apenas linha e um pedaço de tecido. O animal, que segundo tradições russas é considerado guardião, será usado no dedo para fazer companhia e proteger.

Aviso

As informações acima são de responsabilidade do organizador do evento e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

Tenha Lunetas no seu e-mail