10 livros infantis de 2018 para conhecer antes de ele acabar

Livros que falam sobre temas superatuais, como política, emoções, diversidade, racismo e outros assuntos que precisam estar na biblioteca da sua criança
Divulgação
  • Publicado em: 15.10.2018
por

Faltam menos de três meses para terminar o ano. E queremos te convidar a pensar que neste tempo é possível compartilhar muitos momentos memoráveis com as crianças. A leitura compartilhada entre pais e filhos certamente é um desses momentos, quando se fortalecem os laços, e adultos e crianças podem ter a possibilidade de um momento olho-no-olho, afetuoso e interessado. Por isso, reunimos 10 livros livros infantis de 2018 para você e sua criança conhecerem.

Priorizamos não só a qualidade literária, a sensibilidade com que os temas foram tratados, a diversidade de autores, editores e os jeitos diferentes de contar histórias, sempre com a preocupação de ampliar a visão de mundo das crianças por meio da literatura infantil e dos personagens que apresentam novas perspectivas sobre a vida .

90 ideias para melhorar os seus dias até o fim de 2018

Inspirados pela militante materna Luanda Fonseca, lançamos também aqui no Lunetas o desafio #próximos90dias, e listamos 90 ideias de como deixar mais leve o dia a dia com as crianças. A ideia é te inspirar a usar esse tempo com sabedoria, e chegar na noite de ano-novo com a sensação de dever cumprido.

1. “Olavo”, de Odilon Moraes – Jujuba Editora Este título é um dos muitos lançados em 2018 pelo premiado escritor e ilustrador Odilon Moraes, que este ano recebeu um dos selos mais importantes do mundo para distinguir a qualidade na literatura infantil, o White Ravens. “Olavo” é o primeiro livro de Odilon lançado em sua nova casa editorial, a Jujuba, após o fim da Cosac Naify. O livro trata de temas como melancolia infantil e a importância de desmistificar a ideia de que criança está sempre alegre. Uma história atual e ao mesmo tempo universal, que permite espaço para conversar com as crianças sobre sentimentos e emoções. Clique aqui para saber mais sobre “Olavo”.
2. “Lulu e o urso”, de Odilon Moraes e Carolina Moreyra – Pequena Zahar Quem convive com crianças, sabe bem que lidar com sua curiosidade ininterrupta é rotina comum. “O que é isso?”. A pergunta não sai da boca da personagem Lulu, protagonista do livro. Enquanto ela quer saber de tudo, sua mãe está ocupada, no computador. A grande sacada do livro é trabalhar com narrativas simultâneas, uma no texto e outra nas ilustrações, provocando o leitor a perceber os detalhes e as nuances de cada uma das linguagens. O resultado é uma brincadeira divertida que provoca a refletir sobre a relação entre o adulto e a criança, e também sobre a importância da imaginação. Clique aqui para saber mais sobre “Lulu e o urso“.
3. “Júbilo”, de Andrea Pizarro Clemo – Editora Amelì Este é o primeiro título da recém-chegada editora Amelì, criada pela advogada e pesquisadora de literatura infantil paulistana Maria Amélia Jannarelli, do Blog do Livrinho. O romance infantil é assinado pela autora chilena Andrea Pizarro Clemo, e conta a história de Juvenal, um jardineiro idoso que se vê obrigado a se despedir do seu jardim, por supostamente estar velho demais para continuar a exercer este ofício. Com poesia e amabilidade, o livro traz um retrato sensível sobre a passagem do tempo, as relações que construímos, e, principalmente, como somos afetados pelas experiências que vivemos. Clique aqui para saber mais sobre “Júbilo”.
4. “Dois meninos de Kakuma”, de Marie Ange Bordas – Pulo do Gato O livro “Dois meninos de Kakuma” é inspirado na experiência da jornalista brasileira Marie Ange Bordas com jovens de um dos maiores campos de refugiados do mundo. Recém-publicado pela editora Pulo do Gato, o livro é fruto do trabalho que ela desenvolveu com jovens no campo de refugiados de Kakuma, fundado em 1992, no Quênia, na África Oriental. Atualmente, o local abriga cerca de 200 mil pessoas, e é considerado um dos maiores centros de refúgio do mundo. A obra é composta por diversas fotoilustrações e fotografias da autora, e é uma porta de entrada na entrar no assunto da imigração e dos direitos das crianças com os pequenos. Clique aqui para saber mais sobre “Dois meninos de Kakuma”.
5. “Os convidados de senhora Olga”, de Eva Montanari – Jujuba Editora O livro acabou de sair do forno da Jujuba, e traz mais uma vez para o mercado literário brasileiro o trabalho desta grande ilustradora e escritora italiana Eva Montanari (o anterior, também publicado pela Jujuba, é “Hoje”, do qual já falamos aqui no s). A obra conta a história da senhora Olga, uma velhinha cega que tem “os ouvidos mais delicados da cidade”. Ela recebe visitas tão desconhecidas quanto familiares, e vai guiando o leitor pelos personagens mais icônicos da literatura mundial, como Dom Quixote e Pinóquio. Em uma mistura de realidade e imaginação, Eva Montanari conduz o leitor por uma jornada de celebração das histórias universais para a infância. Clique aqui para saber mais sobre “Os convidados de senhora Olga”.
6. “Aqui estamos nós”, de Oliver Jeffers – Editora Salamandra “Onde fica a sua casa? Tem gente que mora no Brasil, tem gente que mora na China. Tem gente que mora no mato, tem gente que mora bem no meio de uma barulhenta metrópole. Seja como for, todos nós partilhamos uma grande casa chamada Terra”. Um dos grandes ganhos da literatura infantil publicada este ano, “Aqui estamos nós”, escrito e ilustrado pelo autor irlandês Oliver Jeffers, traz um narrador pai, que está apresentando o planeta Terra para o filho recém-nascido, e olha para tudo com um olhar inaugural que só as crianças têm. ““Existem pessoas de inúmeros formatos, tamanhos e cores. Podemos até parecer diferentes, agir diferente e falar diferente, mas não se engane: somos todos gente”, diz o pai, deixando no caminho uma possibilidade potente de conversar com as crianças sobre diversidade. Clique aqui para saber mais sobre “Aqui estamos nós”.
7. “Se eu abrir esta porta agora”, de Alexandre Rampazo – Edições SESI-SP De autoria de Alexandre Rampazo (autor de “A cor de Coraline”, finalista do Prêmio Jabuti 2018), “Se eu abrir esta porta agora” é desses livros que pedem mais do que uma leitura. Como o próprio título sugere, a história tem um quê de suspense, e mergulha no imaginário infantil sobre o medo. Que monstros podem morar em um quarto escuro? Será que dentro do guarda-roupa mora uma criatura horripilante? O livro faz o leitor se colocar no lugar de protagonista da história, e explora o formato se sanfona para enriquecer a relação da criança com o objeto livro. Clique aqui para saber mais sobre “Se eu abrir esta porta agora”.
8. “Os direfentes”, de Paula Bossio – Editora Pulo do Gato Não, você não leu errado. E nem a gente se enganou na digitação.”Os direfentes” é um livro que integra texto e imagem de forma surpreendente. O estranhamento que as ilustrações provocam no leitor dialoga com os questionamentos da personagem ao se dar conta da diversidade de pessoas que habitam o mundo que a cerca. As cenas do cotidiano são preenchidos por personagens sérios, mas de aparência e gestos inusitados, favorecendo que a criança desenvolva o olhar sobre si e sobre o outro, o diferente, o que não é como ela. O livro foi adotado pelo PNLD Literário (Programa Nacional do Livro e do Material Didático) de 2018. Clique aqui para saber mais sobre “Os direfentes”.
9. “Amoras”, de Emicida – Companhia das Letrinhas Entre amoras e a pequenina eu digo ‘As pretinhas são o melhor que há’“. Assim começa a música “Amoras”, do rapper Emicida, que acaba de se transformar em livro infantil. Lançamento da Companhia das Letrinhas e com ilustrações de Aldo Fabrini, a obra reproduz, com delicadeza e lirismo, um diálogo que o artista teve com sua primeira filha, Estela, 7, e a história é toda dedicada a ela. O livro fala sobre negritude, representatividade, preconceito e autoconfiança, além de ser um exemplo de como a paternidade presente e afetiva contribui para a construção de referências positivas que levam ao desenvolvimento saudável da criança. Clique aqui para saber mais sobre “Amoras”.
10. “Martin e Rosa – Martin Luther King e Rosa Parks, unidos pela igualdade”, de Raphaële Frier e Zaü – Pequena Zahar Martin Luther King e Rosa Parks se encontraram em 1955, no boicote aos ônibus em Montgomery, nos Estados Unidos − uma revolta pacífica que durou mais de um ano e representou uma vitória simbólica no terreno frágil da legalidade. Com um texto comovente e belas ilustrações, esse livro narra a vida de Rosa Parks, seu encontro com Luther King e a trajetória da luta pelos direitos civis dos negros norte-americanos, culminando na eleição em 2008 de Barack Obama, o primeiro presidente negro dos Estados Unidos. Clique aqui para saber mais sobre “Martin e Rosa”.

Resumo

Igualdade, racismo, política: estes e outros temas fundamentais pautaram muitos dos livros infantis de 2018. Ainda falta um tanto até o ano acabar, por isso reunimos algumas dessas publicações aqui, para você e seu filho incrementaram a biblioteca e os diálogos em casa.
Ir para o início
Alguma dica ou sugestão? Encontrou um erro? Clique aqui e compartilhe com a gente!

Tenha Lunetas no seu e-mail