Carregando...

Emicida lança livro infantil sobre representatividade e negritude

É o primeiro trabalho do artista dedicado à literatura infantil. A obra é inspirada na música "Amoras", que ele compôs para a filha
Livro infantil de Emicida, "Amoras" Divulgação
  • Publicado em: 12.09.2018
  • Atualização: 09.10.2018
da Redação

Como o pensar infantil fascina/De dar inveja, ele é puro, que nem Obatalá/A gente chora ao nascer, quer se afastar de Alla/Mesmo que a íris traga a luz mais cristalina/Entre amoras e a pequenina eu digo ‘As pretinhas são o melhor que há’“. Assim começa a música “Amoras”, do rapper Emicida, que acaba de se transformar em livro infantil. Lançamento da Companhia das Letrinhas e com ilustrações de Aldo Fabrini, a obra reproduz, com delicadeza e lirismo, um diálogo que o artista teve com sua primeira filha, Estela, 7, e a história é toda dedicada a ela. Com 32 anos, o cantor também é pai de Tereza, que nasceu em junho de 2018.

Na música que originou a história, a pequena está debaixo de uma amoreira com o pai, quando este comenta sobre a beleza das amoras. Quanto mais pretas, mais doces. É aí que a menina se reconhece e assimila sua própria identidade. Emicida canta “A doçura das frutinhas sabor acalanto fez a criança sozinha alcançar a conclusão/Papai, que bom, porque eu sou pretinha também“.

Divulgação

“Amoras” é o primeiro livro infantil do rapper Emicida.

Assim, o livro versa sobre negritude, representatividade, preconceito e autoconfiança, além de ser um exemplo de como a paternidade presente e afetiva contribui para a construção de referências positivas que levam ao desenvolvimento saudável da criança.

Com referências à religião e à resistência afro – a história cita Zumbi, Marthin Luther Link, Malcom X e entidades da mitologia yorubá – Emicida reforça a importância de nos reconhecermos e nos orgulharmos de ser quem somos – desde criança e para sempre.

“Um livro que rega as crianças com o olhar cristalino de quem sonha plantar primaveras para colher o fruto doce da humanidade”, diz o poeta Sergio Vaz no livro.

No vídeo abaixo, publicado na página oficial do artista nas redes sociais, Emicida explica por que resolveu fazer um livro infantil, e reforça a importância de escolher como falar com as crianças sobre assuntos sensíveis como o racismo.

“Se a gente conseguir criar um campinho de força em volta delas para que elas tenham suas convicções de igualdade preservadas, conseguimos pontuar que quem ataca qualquer diferença que duas pessoas tenham, essa pessoa é que está errada”.

“Precisamos encontrar palavras inspiradoras, positivas e convidativas que façam com que as crianças tirem conclusões por elas mesmas”

Assista:

Por que Emicida fez um livro infantil?

Posted by Emicida on Wednesday, September 26, 2018

Lançamento

“Amoras” será lançado neste sábado, 6 de outubro, das 11h às 13h, na Livraria Cultura da Avenida Paulista. As senhas serão entregues no caixa do piso térreo no própria dia do evento, para todos que comprarem o livro. Ao todo, serão distribuídas 300 senha. A sessão de autógrafos com Emicida será às 15h, no piso do teatro. O atendimento será por ordem de chegada na fila. Clique aqui para saber mais, confirmar sua presença e convidar os amigos.

Saiba mais sobre “Amoras” no site da editora.

Dá o play abaixo para ouvir a música que inspirou o livro:

Resumo

Em "Amoras", Emicida conta a história de uma garotinha que reconhece sua identidade a partir de uma conversa com o pai, debaixo de uma amoreira. Com referências à cultura e à resistência negra, o livro fala sobre representatividade e negritude com as crianças.
Ir para o início
Alguma dica ou sugestão? Encontrou um erro? Clique aqui e compartilhe com a gente!

Tenha Lunetas no seu e-mail ou WhatsApp