Carregando...

Material reúne 50 práticas inovadoras em educação integral

No Mapa de Práticas, é possível pesquisar por região e descobrir iniciativas transformadoras em todos os cantos do país
Educação integral nas infâncias iStock/Arte Lunetas
  • Publicado em: 26.08.2019
da Redação

O que é educação integral? Falamos muito sobre o tema aqui no Lunetas. Mas, afinal, quais são os pressupostos para aplicar esse conceito nas escolas? Pensando em ajudar professores e educadores a responder essa pergunta, o nosso parceiro Centro de Referências em Educação Integral, em parceria com o Instituto Alana e o Instituto C&A, lançou um material gratuito e disponível para download.

O especial “Educação integral nas infâncias” reúne uma série de experiências que priorizam o desenvolvimento de crianças de zero a doze anos, levando em conta diferentes contexto de aprendizagem. Dentre as iniciativas, escolas públicas, privadas, urbanas e rurais, todas empenhadas em desenvolver integralmente os pequenos.

O documento começa por elencar quais são as diretrizes básicas da educação integral para as infâncias. São elas: equidade, singularidade e brincadeira, inclusão, participação, sustentabilidade, articulação com o território e cuidar e educar. Todos esses parâmetros estão apoiados em uma visão da criança como sujeito de direitos, dotada de singularidades e múltiplas dimensões – física, emocional, social, intelectual e cultural.

Inclusão – “Todas as pessoas são capazes de aprender, em diferentes lugares, com diferentes pessoas e ao longo de toda a vida. Nesse sentido, é preciso reconhecer e valorizar a singularidade dos processos educativos e a diversidade das crianças. A educação é, necessariamente, inclusiva e, portanto, é preciso garantir mecanismos adequados para que todas as crianças, com suas particularidades, potencialidades e limites, possam aprender e se desenvolver.” (Fonte: Educação integral nas infâncias)

No Mapa de Práticas do especial, é possível buscar iniciativas por região do país ou por palavra-chave. Os educadores podem utilizar o material como suporte para planejar percursos pedagógicos e instituir novas práticas de educação integral criativa.

A partir dessa ferramenta, é possível saber, por exemplo, que lá em Manaus (AM), um grupo de pais se articulou para refletir o que a escola quer para as crianças, e assim nasceu o CEFA (Coletivo Escola Família Amazonas). Ou ainda conhecer o Espaço Mitã de práticas democráticas, instituído na zona rural da cidade de Dourados (MS). Também é possível filtrar a busca por área (escola rural ou urbana), ciclo (Educação infantil, Fundamental I e II) e número de estudantes (de um a 100).

“A democracia na Educação Infantil é vivenciada desde a escolha dos conteúdos e atividades até a organização do espaço. As crianças participam ativamente da elaboração de seu percurso formativo, tornando-se responsáveis por este processo”

Com isso, educadores do Brasil todo podem ter onde se inspirar na hora de pensar novas práticas alinhadas ao pensamento da educação integral. Clique aqui para acessar o “Educação integral nas infâncias“.

Leia mais:

A escola, sozinha, não forma sujeitos multidimensionais

Resumo

O especial "Educação integral nas infâncias" está disponível para download gratuito e pode ser utilizado como uma ferramenta pedagógica de suporte e inspiração para planejar novas práticas.
Ir para o início
Alguma dica ou sugestão? Encontrou um erro? Clique aqui e compartilhe com a gente!

Tenha Lunetas no seu e-mail ou WhatsApp