Dúvidas sobre desfralde? O pediatra Daniel Becker responde

Traumas causados pelo período de desfralde podem perdurar pela vida toda, e gerar problemas fisiológicos e emocionais graves
iStock
  • Publicado em: 08.06.2016
da Redação

Desfraldar é um marco importante no desenvolvimento das crianças. Confira no vídeo de hoje do Criar e Crescer as sugestões do pediatra Daniel Becker para desfraldar seu bebê com carinho e sem traumas.

“A primeira coisa é respeitar o ritmo da criança. Tem crianças que, com um ano e meio, já pedem para sentar no vaso, e outras que com dois e meio, três ou mais, ainda têm medo”. Em resumo, é preciso pensar que cada criança tem um tempo, portanto, cabe aos pais e cuidadores compreender qual é o da sua criança.

Vale reforçar que o desenvolvimento típico – ou seja, aquele que é considerado esperado – varia muito de uma criança para outra.

Para Daniel Becker, forçar a criança a usar o penico ou o vaso sanitário é um erro grave, porque ela entra no ciclo do medo, do trauma.

“A criança passa a associar o ato de defecar à dor”

Segundo ele, isso é preocupante não só pelo aspecto emocional da criança, mas também para as consequência que acarreta para a própria família, pois muitas vezes esse trauma faz necessária a intervenção de um profissional. O conselho do pediatra é o redutor de assento, que propõe uma transição gradual para os pequenos.

Assista ao vídeo

Resumo

Dúvidas sobre desfralde são muito comuns para as novas famílias. No vídeo do nosso parceiro Criar e Crescer dessa semana, o pediatra Daniel Becker conversa com os pais e cuidadores sobre como dizer adeus às fraldas sem trauma.
Ir para o início
Alguma dica ou sugestão? Encontrou um erro? Clique aqui e compartilhe com a gente!

Tenha Lunetas no seu e-mail

Últimos posts