Carregando...

10 canções de ninar brasileiras para dar colo (en)cantando

Acalanto, nana-nenê, dorme-nenê. A função das canções de ninar vão muito além de apaziguar. Elas são as primeiras referências de afeto e cuidado do bebê
Canções de ninar brasileiras iStock
  • Publicado em: 17.08.2018
  • Atualização: 01.10.2018
por

Conhecer e observar de perto a palavra dita e cantada para as crianças é cuidar com carinho da infância Essa é a tese da pesquisadora Silvia de Ambrosis Pinheiro Machado, autora do livro “Canção de ninar brasileira: aproximações” (Edusp, 2017). Vem daí – e de inumeráveis outros aspectos – a importância das canções de ninar para o desenvolvimento infantil, tanto na barriga quanto nos primeiros anos de vida. Cantar para uma criança é “cuidar dos pequenos que ainda não falam”, defende Silvia.

“O ambiente cultural é tão fundamental e delimitador da experiência humana quanto o ambiente físico e emocional.  É cuidar do surgimento das palavras, da sua afinação com a experiência vivida, de seu vigor e sentido; Cuidar do ouvir, do balbuciar, do murmurar, do falar, do cantar, do contar, do silenciar; enfim, da experiência inicial com a palavra é condição para o desenvolvimento pleno deste ser de linguagem que é o homem”, afirma a psicóloga, no livro, que foi fruto de uma pesquisa que fez ao acompanhar famílias recém-nascidas no período pré e pós-natal.

“Portanto, a canção de ninar tem origem no contexto do nascimento humano e da infância, e pode-se considerá-la como ponte que comunica a macro-história social, cultural e étnica de um povo à micro-história da infância na família”, avalia a especialista.

“Canção para adormecer menino”

Acalanto, nana-nenê, dorme-nenê, canção ou cantiga de berço, de “makuru”, de embalar, de acalentar: todas essas são designações brasileiras para as canções entoadas para conduzir ao sono as crianças pequenas. A canção de ninar, enquanto modalidade literária com força apaziguadora, e seu próprio estudo, podem revigorar o ambiente cultural que cerca as famílias, os bebês, os agentes de saúde e educação e a sociedade como um todo. (Fonte: “Canção de ninar brasileira: aproximações”)

Para aproveitar todo esse potencial do acalanto e inspirar famílias, cuidadores, professores e todos aqueles que convivem com crianças a cantar para elas da barriga até a primeira infância, convidamos Silvia para indicar 10 canções de ninar brasileiras. Na lista, algumas já velhas conhecidas de nossa própria infância, e outras que são novidades sonoras bem-vindas para apresentar aos pequenos. E o melhor: todas elas aproveitam o que há de mais rico na sonoridade musical do país, como as modas de viola.

Vale ressaltar que algumas das canções abaixo não estão disponíveis online de acordo com a referência exata indicada pela pesquisadora, apenas versões musicadas por outros artistas, pois são de domínio público, e compõem o vasto cancioneiro popular brasileiro de canções de ninar.

Chame as crianças, dê o play, e encante seus ouvidos!

  • “Acalanto de Planta” – Do CD Bia Bedran e Bloco da Palhoça

Clique aqui para ouvir

  • “O sono é um gigante” – Do CD Acalantos / Beatriz Bedran

O sono é muito grande
Ele é implicante
Ele é um gigante
Que vem me enfeitiçar

Não sei o que acontece
Mas quando ele aparece
Não vejo a cara dele
Nâo sei onde ele esta

Aposto que ele é bobo
Não tem que fazer!
O seu passa tempo
É deixar bêbado um bebe

Aposto que na casa dele
Não ter cor,não tem enfeite
E não gosta nem de leite
Nunca soube o que é mama

Por isso é rabugento
rabugento pra danar

Mas ele me domina
E eu sou uma menina
Muito pequena ainda

  • “O Besouro” – Do CD: Abra a Roda Tin Dô Lê Lê/ Lydia Hortélio

Conheça o álbum, resenhado pelo pesquisador de educação musical infantil Marcus Vieira.

  • “Sapo Cururu” – Do CD: Oh! Bela Alice / Lydia Hortélio

“Sapo Cururu na beira do rio
Quando o sapo grita, ó Maninha, diz que está com frio
A mulher do sapo, é quem está lá dentro
Fazendo rendinha, ó Maninha, pro seu casamento”

Ouça o álbum na íntegra:

  • “Murucututu” – Do CD: Murucututu/ Eugênio Tadeu e Miguel Queiroz

“Murucututu
De trás do murundu
Murucututu
De trás do murundu
Já vem assim a velha
Lá da banda do angu
Já vem assim a velha
Lá da banda do angu

Murucututu
De cima do telhado
Murucututu
De cima do telhado
Deixa este menino
Dormir sono sossegado
Deixa este menino
Dormir sono sossegado

Jacaré tutu
Jacaré mandu
Tudo vai-se embora
Não pega o meu filhinho
Murucututu”

A versão abaixo é de autoria da compositora e educadora musical Bia Bedran.

  • “Nananenem” – Do CD: Paisagens/ Ivan Vilela

Versão instrumental

  • “Era uma vez” – CD: Canções de Ninar/ Palavra Cantada

Era uma vez uma vez só de vez em quando
Quando iam duas mas só uma cada vez
E toda vez que uma vinha retornando
A outra ia outra vez e pareciam três

Naquele dia aquela vez desfez o bando
Da sua vez a sua voz disse talvez
Queria ir mas não iria por enquanto
Às vezes isso acontece à uma vez

A vez da vez estava quase se acabando
Aquela dúvida já era estupidez
Mas toda vez que ia ir, vinha voltando
Perdendo a vez, perdia só mais uma vez

Na outra vez, passou a vez, esperou tanto
Que dessa vez abandonou a vez de vez
De duas uma vezes uma vez portanto
A história já se fez e agora a vez é de vocês”

Ouça o álbum na íntegra:

  • “Essa Menina” – Do CD: Brincadeira de Viola/ Paulo Freire

“Essa menina não dorme na cama
Dorme na limeira debaixo da rama
Xô xô, passarinho,
Não me coma esse arroz
Esse arroz é de Iá Iá
Que me mandou apanhar”

  • “Acalanto” – Dorival Caymmi

“É tão tarde
A manhã já vem,
Todos dormem
A noite também,
Só eu velo
Por você, meu bem
Dorme anjo
O boi pega Neném;
Lá no céu
Deixam de cantar,
Os anjinhos
Foram se deitar,
Mamãezinha
Precisa descansar
Dorme, anjo
Papai vai lhe ninar:
“Boi, boi, boi,
Boi da cara preta
Pega essa menina
Que tem medo de careta”

  • “Acalanto para Helena” – Chico Buarque

“Dorme (mi)nha pequena
Não vale a pena despertar
Eu vou sair
Por aí afora
Atrás da aurora
Mais serena”

  • “Tudo tudo tudo” – Caetano Veloso

“Tudo comer
Tudo dormir
Tudo no fundo do mar”

Leia também:

‘Nana nenê’: o potencial de cura e afeto das canções de ninar

Resumo

Balbuciar, murmurar, falar, cantar e silenciar. Cuidar da palavra que apresentamos às crianças é condição fundamental para o desenvolvimento pleno do indivíduo. Conheça essas canções de ninar tipicamente brasileiras.
Ir para o início
Alguma dica ou sugestão? Encontrou um erro? Clique aqui e compartilhe com a gente!

Tenha Lunetas no seu e-mail ou WhatsApp