Carregando...

Arrasta-pezinho: 16 músicas de forró para crianças

A sanfona, o triângulo e a zabumba para ouvir, cantar e brincar ♫
Forró para crianças Istock
  • Publicado em: 15.06.2018
  • Atualização: 01.10.2018
por

Para fazer o próprio arraial em casa ou para tocar nas escolas, o Lunetas preparou uma playlist que inclui baiões, xotes e xaxados para apresentar às crianças. É um jeito de conheceram a história e as obras referência deste importante gênero da música popular brasileira. É também uma oportunidade de ampliar o repertório de movimentos dançando.

A seleção conta clássicos da música nordestina e composições de autores consagrados como Jackson do Pandeiro, Luiz Gonzaga, Anastácia, entre outros.

Tem sugestões de músicas para acrescentar à lista? É só comentar no fim desta matéria.

Arrasta os móveis e dá o play

Cajueiro – Jackson do Pandeiro e Raimundo Baima

Cajueiro, êê, cajueiro ê-á
Cajueiro pequenino
Todo enfeitado de flor
Eu também sou pequenino
Carregadinho de amor.

Tradicional cajueiro
Dos meus avós traz lembrança
Testemunha evocativa
Dos meus tempos de criança.

O cajueiro não dá coco
Coqueiro não dá limão
O amor quando é de gosto
Não produz ingratidão

Quadro negro – Jackson Do Pandeiro / Rosil Cavalcanti

Um bê com a bê -a ba
Um bê com e bê -e bé
Um bê com i bê -e bi
Um bê com o bê -o bó
Olha vamos estudar que é melhor
Estudei com a dona Filomena
Professora da Vila Tacauã
Lá no quadro negro de manhã
Escrevia a lição pra se estudar
E depois começava a se arrumar
Enfeitada que só vedete
E a turma olhando a toalete
A pestana nem podia bater
Filomena vendo tudo calada
Gritou pra turma responder:
Um bê com a bê -a ba
Eu sentado na frente estudava
E olhava ligeiro la pra mesa
Porque tinha cinema sem despesa
Filomena deu pra desconfiar
Porque a turma parou de soletrar
Levantou-se e foi logo perguntando
O que é que vocês estão olhando
Porque e que tem aqui tanto sossego
Eu então respondi a Filomena
Eu estudo é olhando o Quadro negro

Vendedor de Caranguejo – Dominguinhos

Caranguejo Uçá
Caranguejo Uçá
Apanho ele na lama
e boto no meu caçuá
Tem caranguejo
tem gordo goiamum
Cada corda de dez
Eu dou mais um
Eu dou mais um
Eu dou mais um
Cada corda de dez
Eu dou mais um
Eu perdi a mocidade
Com os pés sujos de lama
Eu fiquei analfabeto
Mas meus filho criou fama
Pelo gosto dos meninos
Pelo gosto da mulher
Eu já ia descansar
Não sujava mais os pé
Os bichinho tão criado
Satisfiz o meu desejo
Eu podia descansar
Mas continuo vendendo caranguejo

Forró das crianças – Luiz Gonzaga

Chega gente
Dá de garra nessa dança
Que é forró para as crianças
E a alegria vai jorrar
Vem neném
Vem ninar incendiando
Vem pegando fogo
Que o xamego desse nego
Faz aqui um jogo
Ajunta côco com xaxado
Xote e xêem
Vem neném
Vem gingando, balançando
Dando requebradinho
Nesse côco miudinho
Bonitinho e bom
Remexendo, repondendo
Assim nesse tom
O candieiro clareou
Como clareou
E tem é mais que clarear
Tem que clareae
O sanfoneiro se acordou
Fogo se acordou
Pra botar forró no ar

Petrolina Juazeiro – Trio Nordestino

Nas margens do São Francisco nasceu a beleza
E a natureza ela conservou
Jesus abençôou com sua mão divina
Pra não morrer de saudade vou voltar pra Petrolina.

No outro lado do Rio tem uma cidade
Que na minha mocidade eu visitava todo dia
Atravessava a ponte, ai que alegria
Chegava em Juazeiro, Juazeiro da Bahia.

Hoje me lembro que no tempo de criança
Esquisito era a carranca e o apito do trem
Mas achava lindo quando a ponte levantava
E o vapor passava no gostoso vai e vem

Petrolina, Juazeiro
Juazeiro, Petrolina
Todas duas eu acho uma coisa linda
Eu gosto de Juazeiro e adoro Petrolina.
Nordestino

Asa Branca – Luiz Gonzaga

Quando olhei a terra ardendo
Qual fogueira de São João
Eu perguntei a Deus do céu, ai
Por que tamanha judiação
Eu perguntei a Deus do céu, ai
Por que tamanha judiação
Que braseiro, que fornalha
Nem um pé de plantação
Por falta d’água perdi meu gado
Morreu de sede meu alazão
Por farta d’água perdi meu gado
Morreu de sede meu alazão
Até mesmo a asa branca
Bateu asas do sertão
Entonce eu disse, adeus Rosinha
Guarda contigo meu coração
Entoce eu disse, adeus Rosinha
Guarda contigo meu coração
Hoje longe, muitas léguas
Numa triste solidão
Espero a chuva cair de novo
Pra mim voltar pro meu sertão
Espero a chuva cair de novo
Pra mim voltar pro meu sertão
Quando o verde dos teus olhos
Se espalhar na plantação
Eu te asseguro não chore não, viu
Que eu voltarei, viu
Meu coração
Eu te asseguro não chore não, viu
Que eu voltarei, viu
Meu coração

Maracatu êta – Trio Nordestino

Maracatu ê, maracatu a
Eu quero vê, vou lhe trazer
Pois quero ver, você de novo
Junto com meu povo
E com meu povo balançar
Misture a sanfona do baião
Triângulo com zabumba
Agora quero pastoras
Pro mestre de sala reger
Pra quem não viu ver
O meu mistura
Siria com Carimbo
Maracatu com Forró
Até o dia clarear

Óia Eu Aqui de Novo – Luiz Gonzaga

Óia eu aqui de novo, xaxando
Óia eu aqui de novo, para xaxar

Vou mostrar pr’esses cabras
Que eu ainda dô no couro
Isso é um desaforo
Que eu não posso levá
Óia eu aqui de novo, cantando
Óia eu aqui de novo, xaxando
Óia eu aqui de novo, mostrando
Como se deve xaxar

Vem cá morena bela, vestida de chita
Você é a mais bonita desse meu lugá
Vai chamá Maria, chamá Luzia
Vai chamá Zabé, chamá Requé
Diz que tô aqui com alegria
Seja noite ou seja dia

Itabaiana – Cátia de França

Rompe o dia num estalo
Hoje é dia de sábado
Dia bom pra se vender
Vamos brincar de partilhar
Itabaiana colorida
vive o seu dia de feira
de rendas toda enfeitada
Itabaiana desejada ê ê

Vem gente de toda parte
Itambé, Ingá, Pombal, Pilar
Das bandas de Gurinhém
Vem Cazuza, Totonho e o Seu Neném
Perseguindo a boa sorte
Vão tentar tudo vender
Itabaiana colorida
Meus amigos vou rever ê ê

Fervendo feito panela
Panelada de São João
Itabaiana é só zoada
Riso e muita falação
Um circo armado na cadeia
No jardim da estação
Itabaiana só é bela
No rasgo deu’m dia de feira ê ê

Tum, Tum, Tum – Ari Monteiro / Cristóvão de Alencar

No tempo que eu era só
Que não tinha amor nenhum
Meu coração batia mansinho
Tum, tum, tum

Depois veio você
O meu amor, o número 1
E o meu coração
Pos-se a bater
Tum, tum, tum

Coco do Norte – Jackson do Pandeiro

Oi responda esse coco com palma de mão
Isso é coco do Norte, nunca foi baião.

No coco do Norte tem caracaxá
Zabumba, ganzá, poeira do chão
Coqueiro fazendo improvisação
Compadre e comadre seguro na mão
Batendo umbigada com palma de mão.

Tem coco praieiro na terra batida
Que é dança querida na beira do mar
O vento a soprar, a onda quebrando
A lua espiando com satisfação
Isso assim é coco, nunca foi baião

No coco do Norte tem Pedro, tem Joca
Tem Dida, tem Noca, tem Paulo, tem João
Tem Chica Cancão, Didi Sebastiana
Dedé e Joana na palma da mão
Isso assim é coco nunca foi baião.

A Feira de Caruaru – Luiz Gonzaga

A Feira de Caruaru,
Faz gosto a gente vê.
De tudo que há no mundo,
Nela tem pra vendê,
Na feira de Caruaru.

Tem massa de mandioca,
Batata assada, tem ovo cru,
Banana, laranja, manga,
Batata, doce, queijo e caju,
Cenoura, jabuticaba,
Guiné, galinha, pato e peru,
Tem bode, carneiro, porco,
Se duvidá… inté cururu.

Tem cesto, balaio, corda,
Tamanco, gréia, tem cuêi-tatu,
Tem fumo, tem tabaqueiro,
Feito de chifre de boi zebu,
Caneco acuvitêro,
Penêra boa e mé de uruçú,
Tem carça de arvorada,
Que é pra matuto não andá nú.

Tem rêde, tem balieira,
Mode minino caçá nambu,
Maxixe, cebola verde,
Tomate, cuento, couve e chuchu,
Armoço feito nas torda,
Pirão mixido que nem angu,
Mubia de tamburête,
Feita do tronco do mulungú.

Tem loiça, tem ferro véio,
Sorvete de raspa que faz jaú,
Gelada, cardo de cana,
Fruta de paima e mandacaru.
Bunecos de Vitalino,
Que são cunhecidos inté no Sul,
De tudo que há no mundo,
Tem na Feira de Caruaru.

Olha Pro Céu – Luiz Gonzaga

Olha pro céu, meu amor
Vê como ele está lindo
Olha praquele balão multicor
Como no céu vai sumindo

Olha pro céu, meu amor
Vê como ele está lindo
Olha praquele balão multicor
Como no céu vai sumindo

Foi numa noite igual a esta
Que tu me deste o coração
O céu estava assim em festa
Pois era noite de São João

Havia balões no ar
Xote, baião no salão
E no terreiro o teu olhar
Que incendiou meu coração

Olha pro céu, meu amor
Vê como ele está lindo
Olha praquele balão multicor
Como no céu vai sumindo

Olha pro céu, meu amor
Vê como ele está lindo
Olha praquele balão multicor
Como no céu vai sumindo

Forró Do Rei – Trio Virgulino

Eu vou cantar um canto de paz e amor
Toco forró do jeito que o rei mandou

Pego a tristeza e reboco para bem longe daqui
Pego a sanfona e toco um forró alegre pra ti

 

Esperando na janela – Targino Gondim

Ainda me lembro do seu caminhar
Seu jeito de olhar eu me lembro bem
Fiquei querendo sentir o seu cheiro
E da daquele jeito que ela tem
O tempo todo eu fico feito tonto
Sempre procurando mais ela não vem
E esse aperto no fundo do peito
Desses que o sujeito não pode aguentar
Esse aperto aumenta o meu desejo
E eu não vejo a hora de poder lhe falar

Por isso eu vou na casa dela ai
Falar do meu amor pra ela vai
‘Tá me esperando na janela ai ai
Não sei se vou me segurar
Por isso eu vou na casa dela ai
Falar do meu amor pra ela vai
‘Tá me esperando na janela ai ai
Não sei se vou me segurar
Ainda me lembro do seu caminhar
Seu jeito de olhar eu me lembro bem
Fiquei querendo sentir o seu cheiro
E da daquele jeito que ela tem
O tempo todo eu fico feito tonto
Sempre

Festa de interior – Moraes Moreira / Abel Silva

Fagulhas, pontas de agulhas
Brilham estrelas de São João
Babados, xotes e xaxados
Seguram as pontas meu coraçãoBombas na guerra-magia
Ninguem matava, ninguem morria
Nas trincheiras da alegria
O que explodia era o amorArdia aquela fogueira que me esquenta
A vida inteira eterna é a noite
Sempre a primeira
Festa do Interior
Fagulhas, pontas de agulhas
Brilham estrelas de São João
Babados, xotes e xaxados
Seguram as pontas meu coraçãoBombas na guerra-magia
Ninguem matava, ninguem morria
Nas trincheiras da alegria
O que explodia era o amorArdia aquela fogueira que me esquenta
A vida inteira eterna é a noite
Sempre a primeira
Festa do Interior

Segue a gente no Spotify

Resumo

Para fazer o próprio arraial em casa ou para tocar nas escolas, o Lunetas preparou uma playlist com obras de referência do forró. Arrasta os móveis e dá o play!
Ir para o início
Alguma dica ou sugestão? Encontrou um erro? Clique aqui e compartilhe com a gente!

Tenha Lunetas no seu e-mail ou WhatsApp