9 dicas para reaproveitar as roupas de bebê que não servem mais

As roupas que deixaram de servir no bebê ou na criança podem ter um destino criativo e sustentável
iStock/arte Lunetas
  • Publicado em: 15.12.2020
da Redação

Várias roupas que vão para aterros poderiam ser reutilizadas e/ou recicladas, virando até mesmo fonte de renda quando reaproveitadas da maneira correta. Segundo o ReciclaSampa, estima-se que 63 toneladas de resíduos sejam gerados por dia apenas na cidade de São Paulo. Por isso, o Lunetas traz esta seleção com algumas ideias para lidar com as roupas de bebê que não servem mais: ao invés de um ponto final, outras possibilidades geram apenas uma vírgula na história da peça.

Confira estas ideias de um destino sustentável para as roupas de bebê!

  • Brechós infantis

Os brechós se mostram alternativas cada vez melhores para economizar dinheiro e colaborar com um modo de consumo mais sustentável. Confira esta lista com cinco possibilidades de site para trocas de vestuário infantil.

Praticando o desapego: 5 sites para trocar roupas infantis

  • Trocar roupas entre pais

Há vários grupos em redes sociais que fazem pontes entre mamães e papais que gostariam de trocar as roupas dos pequenos. Os maiores estão presentes no Facebook, como o Doações, Trocas e Retribuições e Vendas e trocas de artigos para bebê.

  • Roupas para animais de estimação

Peças que não servem mais no neném podem virar grandes aliadas no combate ao frio dos bichinhos. Com cola quente, tesoura e um body ou camiseta do bebê, cachorros de porte pequeno ou gatos ficam aquecidos e até estilosos.

  • Transformar o body em camiseta

Se as pernas do bebê cresceram e já não cabem mais em um body, podem passar a caber em uma camiseta com o uso de uma tesoura. Caso tenha máquina de costura, bordados adicionais podem ser colocados, mas é opcional. Conforme o bebê for crescendo, a camisetinha pode passar a ser o vestuário de bonecas e ursos de pelúcia, por exemplo. 

  • Tie Dye

É possível dar uma nova cara para peças 100% algodão com a conhecida técnica tie dye – amarrar e tingir, em tradução livre. Amarre a peça escolhida com um barbante ou elástico no formato desejado (listras, espiral, etc). Coloque a roupinha em um recipiente com tinta para tecido, 200ml de água morna e uma colher de sal (para a roupa não soltar tinta), deixe em média 10 minutos e pronto! Enxágue, torça e seque para aproveitar a nova peça. 

  • Golas e bordados

Cortar não é tão interessante, mas costurar sim? Que tal customizar roupinhas com bordados, desde estampas até golas? Muitos bordados são vendidos prontos em lojas de tecido ou armarinhos e podem facilitar o trabalho.

Reprodução/Tocados Almeida

Uma ideia para customizar as roupinhas das crias com golas e bordados

  • Caneta para tecido

Cortar, costurar ou trocar não é tão legal no momento? Com uma caneta de tecido, é possível criar pequenos a grandes detalhes em uma peça de roupa. Que tal deixar sob responsabilidade dos pequenos e fazer com que eles personalizem a roupa do seu jeitinho?

  • O poder dos retalhos

Múltiplas ideias podem vir dos retalhos. Que tal tentar uma capa para óculos caso você tenha máquina de costura, ou começar a fazer enfeites para uma árvore de natal? Com paciência e criatividade, o destino do tecido pode ser feliz.

Reprodução/Pinterest

Miniaturas de árvores de Natal com retalhos de roupas

  • Doação

Doar roupas para quem precisa é uma maneira de fazer com que a peça deixe outros bebês bem vestidos, além de facilitar a vida de outros pais e de não oferecer uma data limite para a roupa quando o bebê crescer. De membros da família que estejam precisando de enxoval a ONGs que recebam vestuário infantil, doar é sempre uma boa opção.

Resumo

Trocar, vender ou customizar? O Lunetas traz dicas para reaproveitar as roupas dos bebê ou das crianças que não servem mais. Assim, podemos colocar vírgulas antes de um ponto final na vida útil de cada peça - uma atitude mais criativa e sustentável, não é?
Ir para o início
Alguma dica ou sugestão? Encontrou um erro? Clique aqui e compartilhe com a gente!

Tenha Lunetas no seu e-mail