Carregando...

15 livros de poemas infantis para presentear crianças com poesia

Os poemas contribuem para o desenvolvimento da sensibilidade estética, construindo uma ponte entre a criança, o mundo real e o simbólico
Poemas infantis iStock
  • Publicado em: 30.11.2018
da Redação

Manoel de Barros, Cecília Meireles, Drummond: quando o assunto é poesia sobre infâncias, a literatura brasileira não economiza exemples de grandes autores e autoras que se debruçaram sobre essa fase da vida. Mas, e quanto aos poemas feitos não somente sobre elas, e sim para elas? Nesta lista – que não pretende de forma alguma ser definitiva ou a única possível – o Lunetas reuniu alguns livros de poemas pensados para o público infantil e juvenil.

A proposta é incentivar os pais, cuidadores, professores e adultos em geral que convivem com crianças a aproveitar o potencial da poesia desde o berço. Mas qual potência é essa, afinal?

  • 1 – A poesia contribui para a formação do imaginário, do jogo simbólico e da criatividade.
  • 2 – Poemas expressam a beleza por meio da linguagem literária.
  • 3 – Os poemas contribuem para o desenvolvimento da sensibilidade estética, construindo uma ponte entre a criança, o mundo real e o simbólico.
  • 4 – A presença da sonoridade nesse tipo de texto, construída por meio das rimas e repetições, por exemplo, torna a recitação de poemas uma atividade de prazer para os pequenos.
  • 5 – Ouvir e recitar poemas ajuda na percepção da melodia da linguagem. Poesia e música andam juntas e, por isso, apreciar boas canções pode ser um ótimo caminho para aproximar os leitores da linguagem poética.

“Ao colocar em palavras a capacidade das crianças de interpretar o mundo pelas sutilezas daquilo que elas imaginam, o poeta matogrossense Manoel de Barros defendia que só elas conseguem enxergar as coisas para além de sua imagem e do seu nome, e “transver o mundo”. “As coisas não querem mais ser vistas por pessoas razoáveis. Elas desejam ser olhadas de azul”, escreveu Manoel.

Ler poesia com as crianças reforça a importância da literatura no que ela tem de mais potente: afeto, experiência estética e linguagem

Para conhecer mais razões para apresentar o universo da poesia para os pequenos, acesse a matéria “As palavras como brinquedo: 10 motivos para ler poemas com crianças”.

Confira uma lista de livros de poemas infantis:

  • 1. “Cantigas por um passarinho à toa” – Manoel de Barros (Companhia das Letrinhas)

Neste livro de poemas que Manoel de Barros escreveu para as crianças, o mundo parece um grande faz de conta. Ele é cheio de palavras que brincam com a gente e de acontecimentos típicos do imaginário das crianças. Árvores que falam, ventos que cantam, algazarras de cigarras, um menino que mora numa garça e até uma rã que sonha ser passarinho são algumas das personagens que brincam com o leitor, conduzido por este grande artista das palavras.

Clique aqui se quiser comprar.

  • 2. “Mundo palavreado” – Ricardo Azevedo (Editora Peirópolis)

Os poemas reunidos em Mundo palavreado trazem à cena um outro Ricardo Aleixo, ao mesmo tempo similar e diferente do Aleixo vanguardista, adepto das tecnologias da voz e da escrita. Esse outro Aleixo – gestado nas entrelinhas dos debates críticos e das performances provocadoras do autor – preenche o rigor da palavra e da imagem com uma ternura juvenil, não de todo destituída de humor e fina acidez. Vê-se, neste momento, que o poeta maduro segue de mãos dadas com o menino, ambos nutridos pelas perguntas que lançam ao mundo.

Clique aqui se quiser comprar.

  • 3. “Poeminhas da terra” – Márcia leite e Tatiana Móes (Pulo do Gato)

Hora de comer, hora de brincar, hora de colher, hora de pescar, hora de festejar, hora de contemplar, hora de compartilhar são alguns dos temas explorados nestes singelos poemas sobre o cotidiano da vida na aldeia daqueles que são os primeiros habitantes do Brasil.

  • 4. “Poemas para ler com palmas” – Edimilson de Almeida Pereira (Mazza Edições)

Em Poemas para ler com palmas, o autor estende um fio poético a partir de cinco mitopoéticas de matrizes afrodescendentes: a Capoeira, o Congado, o Jongo, os Orixás e os Vissungos. O resultado é um livro-canto, em movimento, que convida o leitor-ouvinte a participar dessas cinco matrizes culturais afrodescendentes. Os poemas do livro dialogam com as belas ilustrações de Maurício Negro.

Clique aqui se quiser comprar.

  • 5. “Antologia ilustrada da poesia brasileira” – Organização por Adriana Calcanhoto (Casa da Palavra)

A ideia é bem simples: abrir janelas para os poetas de diferentes tempos, estilos e vozes no Brasil, preenchendo assim a possível ausência de uma compilação dedicada aos leitores de poesia, menores ou iniciantes, ilustrada pela própria organizadora. Foi a partir dessa “ideia simples” que Adriana Calcanhoto se debruçou por mais de um ano na organização desta antologia. Nela, conseguiu reunir poetas do século XIX ao XXI, canônicos e nem tão conhecidos. De Gonçalves Dias a Gregório Duvivier, passando por Carlos Drummond de Andrade, Cecília Meireles, Manuel Bandeira, Cecilia Meireles, Vinicius de Moraes, Adélia Prado e Paulo Leminski.

Clique aqui se quiser comprar

  • 6. “Poesia de Fernando Pessoa para todos” – Fernando Pessoa (Martins Fontes)

Esta é uma antologia da poesia de Fernando Pessoa que se pretende ao alcance de todos: crianças e adultos. Nela se reúnem não só os poucos e por vezes divertidos poemas que escreveu para crianças, mas também outros cuja leitura é acessível aos mais jovens.

Clique aqui se quiser comprar

  • 7. “Pequenas armaduras” – Janaina Tokitaka (Ozé Editora)

Janaina olha para essas pequenas criaturas de um ponto de vista muito particular; captura suas características, faz emergir identidades entre elas e nós, como uma tradução darwiniana poética. Seu texto e suas ilustrações expressam uma combinação de conhecimento científico e sensibilidade, revelando a pesquisadora rigorosa e a artista que ela é.

Clique aqui se quiser comprar

  • 8. “Bichos que existem e bichos que não existem” – Arthur Nestrovski (Companhia das Letrinhas)

Existem uns bichos por aí que é até difícil de acreditar. Também tem bichos que não existem (é o que dizem), mas que muita gente acredita que sim. Neste livro, você vai conhecer bichos da Grécia antiga, do folclore e da fauna brasileira, além de muitas outras criaturas diferentes e esquisitas, de verdade ou de mentira, espalhadas pelo mundo.
No final das contas, vai perceber que não há tanta diferença assim entre os bichos que existem e os bichos que não existem. Todos eles estão vivos ― nas palavras dos livros e na cabeça da gente.

Clique aqui se quiser comprar

  • 9. “Poemas de brinquedo” – Álvaro Andrade Garcia (Editora Peirópolis)

Poemas para brincar, ler com sotaque, travalínguas, palavras inventadas, medonhas e coisas escritas errado para consertar. Jogo do dicionário: palavrórios incríveis para adivinhar. Estórias engraçadas e barulhentas, sons para cantar e também azucrinar. Palavras com arestas e desenhos malucos, ainda sem significado, para você batizar.
Para crianças e adultos a partir de quatro anos.

Clique aqui se quiser comprar o livro

  • 10. “O caderno do jardineiro” – Angela-Lago (Editora SM)

O livro reúne poemas sobre os mais diversos tipos de flores, escritos e ilustrados pela própria autora. Repleta de significação, a flor é a metáfora utilizada para tratar de temas ligados à existência humana, como a passagem do tempo, a transitoriedade, a fragilidade.

Clique aqui se quiser comprar o livro

  • 11. “Poemas que escolhi para as crianças” – Ruth Rocha (Salamandra)

Este livro é um verdadeiro presente para as crianças: uma coletânea de obras de poetas brasileiros de várias épocas. Apaixonada por poesia desde sua infância, Ruth Rocha fez a seleção dos poemas. Com a ajuda de Mariana Rocha, sua filha, eles foram organizados em blocos temáticos, o que deu ao conteúdo uma graça especial. Nove ilustradores foram convidados a participar deste projeto. O resultado é um livro rico e instigante, que pode levar pais e filhos, professores e alunos a conhecer um pouco da riqueza da poesia brasileira.

Clique aqui se quiser comprar o livro

  • 12. “Um caldeirão de poemas” – Tatiana Belinky e vários ilustradores (Companhia das Letras)

Tatiana Belinky apresenta textos alegres ou tristes, divertidos ou sérios; poemas que falam de aventuras, de amor, de saudade e de trabalho; composições feitas para serem lidas em voz alta ou em silêncio. Entre os poemas que podem ser declamados estão quadrinhas populares, traduzidas pela autora do russo, do inglês e do alemão, e textos da própria Tatiana, como “Cantiga famélica”. Nele, uma “jacaroa” faminta devora tudo o que vê pela frente. Entre os poemas de autoria desconhecida está “O senhor Ninguém”, em que crianças descrevem um homenzinho invisível que faz estripulias pela casa.

Clique aqui se quiser comprar o livro

  • 13. “Poemas da minha terra tupi” – Maté (Brinque-Book)

Jaguaré, jururu, pirão e pororoca… Toda criança brasileira, quando aprende a falar, aprende também um bocado de palavras de origem tupi. São palavras que falam da paisagem, dos bichos, das plantas e do jeito de ser da gente daqui. E não é que muitas delas vieram passear nos versos singelos deste livro de poemas, esperando que o leitor as reconheça? Com texto e ilustrações de Maté, “Poemas da minha terra tupi” celebra, com curiosidades, histórias, cor e alegria, o significado de muitas palavras e expressões que usamos no dia a dia, 38 das quais são apresentadas em um glossário, no final do livro.

Clique aqui se quiser comprar

14. “Dezenove poemas desengonçados” – Ricardo Azevedo (Ática)

Poemas, trovas e adivinhas brincam com as palavras, com o universo infantil. E também convidam as crianças à reflexão sobre importantes assuntos. Prêmio Jabuti de melhor livro infantil.

Clique aqui se quiser comprar

  • 15. “Quem lê com pressa tropeça” – Elias José e Nelson Cruz

Num texto bem-humorado, Elias José revive uma tradição oral: o trava-línguas, habilidade de recitar bem rápido frases ou versos com sons semelhantes, sem trocar sílabas e sem interrupções.

Clique aqui se quiser comprar

Leia também:

25 poemas sobre infância para celebrar os começos da vida

Resumo

Poemas infantis podem ser uma porta de entrada para a literatura desde o berço. Ler com as crianças proporciona momentos de afeto, fortalece vínculos emocionais e desenvolve a sensibilidade criativa.
Ir para o início
Alguma dica ou sugestão? Encontrou um erro? Clique aqui e compartilhe com a gente!

Tenha Lunetas no seu e-mail ou WhatsApp