Sou pai e não consigo acalmar o meu bebê. O que fazer?

O pediatra Carlos Eduardo Correa explica que cabe aos pais investir em momentos de vínculo com os bebês, como o banho, a troca de fraldas e hora da brincadeira
iStock
  • Publicado em: 20.10.2015
da Redação

Na seção “Pergunte ao pediatra”, o Lunetas divulga dúvidas comuns a muitas famílias sobre os cuidados com as crianças.

Quem responde as questões é o pediatra Carlos Eduardo Correa, mais conhecido como Cacá. Ele é especialista em neonatologia e aleitamento materno e fez parte de equipes que acompanham partos naturais. No momento, ele trabalha em um consultório de pediatria no Espaço Nascente, que tem por missão ajudar na construção de famílias que acreditam na criação com apego como caminho amoroso nas relações de pais e filhos.

Ressaltamos que este espaço não pretende substituir as consultas com o seu pediatra. É um canal de informações para empoderar pais e educadores para que interfiram positivamente no desenvolvimento das crianças, deixando-as exercer sua plena potência.

Pergunta da semana: Sou pai e não consigo acalmar o meu bebê. O que posso fazer?

“Os pais, que não têm o poder das mamas, terão que encontrar seus próprios meios de lidar com o choro dos seus filhos. Aprender a cantar e dançar com seu filho é uma ótima experiência para os pais. Descobrir o poder do seu abraço e do seu colo. Vale a pena experimentar um gostoso banho de chuveiro que pode ser uma maneira de tranquilizar a criança e de fazer contato pele a pele com o bebê.

Aos poucos, cada pai vai conhecendo seu bebê e encontrando seu próprio jeito de lidar com o choro. Geralmente os pais se sentem menos capazes disto. Mas é preciso estimulá-los a descobrir seus novos talentos na arte de cuidar de dos filhos através das experiências que envolvam contato físico e colo.

Resumo

"Os pais, que não têm o poder das mamas, terão que encontrar seus próprios meios de lidar com o choro dos seus filhos", explica o pediatra e neonatologista Carlos Eduardo Correa.
Ir para o início
Alguma dica ou sugestão? Encontrou um erro? Clique aqui e compartilhe com a gente!

Tenha Lunetas no seu e-mail