Não amamentar bebês na primeira hora de vida eleva risco de morte

Cerca de 77 milhões de recém-nascidos — ou um a cada dois — não são amamentados em sua primeira hora de vida, disse o Unicef
Renata Penna - fotopoesia
  • Publicado em: 02.08.2016
da Redação

Cerca de 77 milhões de recém-nascidos — ou um a cada dois — não são amamentados em sua primeira hora de vida, sendo privados de nutrientes e anticorpos e do contato corporal com suas mães que são essenciais para protegê-los de doenças e da morte, disse o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) na semana em que celebra a Semana Mundial do Aleitamento Materno.

“Fazer o bebê esperar muito tempo pelo primeiro contato crucial com sua mãe fora do útero diminui a chance de sobrevivência do recém-nascido, limita a produção de leite e reduz a probabilidade da amamentação exclusiva”, disse France Bégin, assessora sênior de nutrição do UNICEF. “Se todos os bebês fossem alimentados com nada além de leite materno desde o momento do seu nascimento até os seis meses de idade, mais de 800 mil vidas seriam salvas a cada ano”.

Quanto mais se atrasa o início da amamentação, maior é o risco de morte no primeiro mês de vida. Atrasar o aleitamento materno entre 2 e 23 horas após o nascimento aumenta em 40% o risco de morte nos primeiros 28 dias de vida. Atrasá-lo por 24 horas ou mais aumenta esse risco em 80%.

“O leite materno é a primeira vacina do bebê, a primeira e melhor proteção que recebe contra as doenças”, disse France Bégin. “Com os recém-nascidos respondendo por quase metade de todas as mortes de crianças com menos de cinco anos, o aleitamento materno precoce pode fazer a diferença entre a vida e a morte”.

Globalmente, somente 43% dos bebês com menos de seis meses de idade são amamentados exclusivamente. Bebês que não são amamentados têm 14 vezes mais probabilidade de morrer do que aqueles que são alimentados apenas com leite materno

No entanto, qualquer quantidade de leite materno reduz o risco de morte para a criança. Bebês que não recebem nenhum leite materno têm sete vezes mais chance de morrer de infecções do que aqueles que receberam pelo menos alguma quantidade de leite materno nos seus seis primeiros meses de vida.

Com informações do Unicef

Resumo

Bebês que não recebem nenhum leite materno têm sete vezes mais chance de morrer de infecções do que aqueles que receberam pelo menos alguma quantidade de leite materno nos seus seis primeiros meses de vida.
Ir para o início
Alguma dica ou sugestão? Encontrou um erro? Clique aqui e compartilhe com a gente!

Tenha Lunetas no seu e-mail