Carregando...

Mapa convida a redescobrir a escola renovando o olhar sobre ela

Abandonar o olhar acostumado. Esse é o convite da publicação de André Gravatá e Serena Labate, "Mapa de Visitação da Sua Escola"
Mapa de visitação da sua escola iStock/Arte Lunetas
  • Publicado em: 31.07.2019
  • Atualização: 08.08.2019
da Redação

Todos os dias, cadeiras e quadro negro. Cadernos, corredores e os colegas de sempre. Você já pensou que as escolas não precisam se tornar lugares repetitivos e monótonos? Para estimular essa reflexão, o educador e escritor André Gravatá e a ilustradora Serena Labate criaram o “Mapa de Visitação da Sua Escola”, projeto que nasceu a partir de um diálogo com as educadoras Telma Holanda e Fabiane Vitiello, do projeto Diálogos Embalados.

Aí, pode surgir a pergunta: “Oi? Mas por que um mapa, se eu não estou perdido?” Bom, é que às vezes pode ser que o caminho entre repetir as mesmas ações diariamente e cair no marasmo das horas fique curto. E, para evitá-lo, o “Mapa de visitação” propõe abandonar o olhar acostumado, desaprender a rotina e ressignificar a relação com o ambiente escolar – consequentemente, também com própria educação.

“Entrem na escola como se estivessem
subindo uma montanha.
O que é possível avistar
deste mirante que é a escola?
Componham uma lista infinita,
que seja atualizada com a frequência do espanto
e da palpitação dos sentidos.” 

(Trecho do “Mapa de Visitação da sua Escola”)

Reprodução/Sorver Versos

O “Mapa de Visitação da Sua Escola” foi criado para provocar os sentidos e convidar a caminhar poeticamente pela escola.

Em formato de dobradura, a publicação pode ser utilizada em aulas, atividades extracurriculares, planejamentos, reuniões ou qualquer momento que busque estimular o presente e apontar caminhos para outros olhares. “É um convite para provocar atos coletivos”, descrevem os autores.

“Visitá-la [a escola] como se fosse uma exposição de pessoas, espaços, gestos e memórias.”

Os criadores, André e Serena, sugerem, por meio de suas artes e publicações, transformar lugares comuns em exposições abertas. E para isso basta um gesto: perceber. “Essa publicação nasceu como um convite pra acordar os sentidos, para caminhar poeticamente pela escola, para desautomatizar a percepção, para nos perguntarmos com franqueza, dando um passo atrás: o que é uma escola? O que pode uma escola?”, explicam.

Ao desdobrar o mapa, as pessoas talvez se deparem com a seguinte sugestão:

Em uma caminhada pela escola, façam pausas para observar a partir de outras perspectivas:

    a) de ponta-cabeça;

    b) de barriga para cima;

    c) de ouvido;

    d) de lupa;

    e) em pé numa cadeira;

    f) fotografem estranhamentos;

    g) permitam-se ridículos;

    h) todas as alternativas acima e abaixo;

    i) dialoguem sobre as fotografias.

O Mapa de Visitação da Sua Escola está disponível em versão impressa para compra online (R$ 5, pelo site dos autores, o Sorver Versos, que oferece publicações, objetos, oficinas e outros elementos que dialogam com a arte, a poesia e a educação, com a proposta de reeducar a percepção do mundo para um olhar mais sensível e humano. Além deste, há também o Mapa de Visitação da Sua Casa, que convida para redescobrir o lugar onde vivemos a partir de um estímulo a reeducação do olhar e da percepção de pequenos grandes detalhes que frequentemente passam despercebidos.

Leia mais:

Conheça 8 projetos de meninas contra o racismo nas escolas

Resumo

Você já pensou que as escolas não precisam se tornar lugares repetitivos e monótonos? Para estimular essa reflexão, o educador André Gravatá e a ilustradora Serena Labate criaram o “Mapa de Visitação da Sua Escola”. 
Ir para o início
Alguma dica ou sugestão? Encontrou um erro? Clique aqui e compartilhe com a gente!

Tenha Lunetas no seu e-mail ou WhatsApp