A importância do começo da vida para o desenvolvimento infantil

Confira depoimentos de especialistas em infância
família-desenvolvimento-infantil-infância
  • Publicado em: 28.04.2016
  • Atualização: 31.07.2018
da Redação

No próximo dia  5 de maio, o filme “Começo da Vida”, dirigido por Estela Renner, estréia em todo o Brasil. O documentário aborda, principalmente, a importância dos primeiros anos de vida de uma criança para o seu desenvolvimento, e traz uma dimensão macro do que isso significa para o desenvolvimento social, extrapolando o universo familiar de cada criança e a trajetória pessoal da criança.

O filme costura depoimentos de especialistas em desenvolvimento infantil e de famílias das mais diversas culturas, etnias e classes sociais, para construir uma delicada e informativa narrativa.

Confira a seguir trechos desses depoimentos:

  • Alisson Gopnik, Psicóloga e professora da Berkeley University – Estados Unidos

“Os cérebros dos bebês são ‘máquinas incríveis de aprendizagem’. Antes, pensavam que eles nasciam como ‘tábulas rasas’, mas hoje descobriram que os bebês já nascem sabendo de muitas coisas que estão ao seu redor. Começam a aprender desde o momento que estão no útero materno”

  • Andrew Meltzoff , Pesquisador da Universidade de Washington – Estados Unidos

“Em três anos, o recém-nascido passa a ser uma criança que pode andar, falar e até mesmo mentir sobre algumas coisas e ter empatia pelos outros”

  • Anna Maria Chiesa, Professora Associada no Departamento de Enfermagem em Saúde Coletiva da EESUP – Brasil

“Os pais precisam estar presentes para construir vínculos com seus filhos”

  • Chiara Spaggiari, Professora em Reggio Emilia – Itália

“A criança precisa ser deixada livre para observar, escolher e experimentar as coisas de diversos jeitos. Elas aprendem juntamente com os adultos e com as outras crianças”

  • Flávio Cunha, Economista da Universidade de Rice – Estados Unidos

“Conversar com a criança é fundamental pra o desenvolvimento da linguagem e, principalmente, responder quando a criança fala”

  • Jack P. Shonkoff , Diretor do Center on the Developing Child, Harvard – Estados Unidos

“O cérebro dos bebês faz novas conexões cerebrais em uma velocidade muito alta. Desde o nascimento, todas as suas interações com o ambiente influenciam no desenvolvimento cerebral e vão determinar como a criança vai crescer a partir dos estímulos que recebeu desde recém nascida. Fora o ambiente, as pessoas que interagem com essa criança são o mais importante na vida dela”

  • Jean Marc, Obstetra e acupunturista – França

“Nos momentos que os bebês são deixados em paz para viver a sua própria realidade, eles sonham, observam, sem fazer barulho, é um momento único. Eles têm tempo para sentir a sua existência”

  • Joan Lombardi, Diretora do The Children’s Project LLC – Estados Unidos

“Licença maternidade não paga é inviável para muitas famílias. É importante, nos primeiros meses, encorajar alguém a ficar com o bebê período integral e a licença maternidade remunerada possibilita isso”

  • James Heckman, Prêmio Nobel de Economia – Estados Unidos

“O papel da mãe é sublime. O capital humano que a mãe investe na criança é uma parte importante da economia e que normalmente não é reconhecido pela sociedade.

Quanto mais se investe financeiramente na educação das crianças, o retorno volta no futuro. É tornar o cidadão mais produtivo e com isso há a redução da desigualdade social”

  • José Martins Filho, Presidente da Academia Brasileira de Pediatria – Brasil

“O afeto e carinho é que mais importa na formação de uma criança”

  • Leah Ambwaya, Ativista pelos Direitos das Crianças – Quênia

“É importante ouvir o que as crianças têm a dizer. Porque mesmo pequenas elas querem se comunicar e o ato já significa algo”

  • Manda Aufochs Gillespie, Autora do livro “Green Mama” – Canadá

“A taxa de amamentação é muito baixa nos Estados Unidos porque as mães tem que voltar a trabalhar muito cedo. Em países como a Finlândia em que a licença maternidade é maior e que também têm licença paternidade, a taxa é mais elevada. O pai em casa ajuda a mãe a conseguir que o processo de amamentar aconteça”

  • Patricia Kuhl, PhD – Especialista em linguagem dos bebês e pesquisadora pela Universidade de Washington – Estados Unidos

“O cérebro nesses primeiros anos está sendo desenvolvido a partir das experiências com interação. Isso pode ser bom, se esses momentos forem marcados por conversas, socialização, brincadeiras e imaginação. Mas se a vida do bebê for marcada por experiências ruins, o potencial fica limitado”

  • Paula Strozzi, Pedagoga e educadora em Reggio Emilia – Itália

“Como professora ou como mãe não ofereço qualquer coisa para a criança. Ofereço histórias, relações e também beleza. O ambiente que oferecemos as crianças é muito importante. Não precisa ter tanto espaço ou tantas coisas. A questão é que valor dar para aquilo”

  • Pia Rebello Britto, Presidente do Global Head of Early Childhood Development, UNICEF – Inglaterra

“Os pais tem que conversar com os filhos, quanto mais palavras a criança aprende, maior é o seu desenvolvimento cerebral. Crianças de famílias pobres ouvem 30 milhões a menos de palavras antes dos 4 anos do que crianças de famílias profissionais”

  • Raffi Cavoukian, Músico – Canadá

“As crianças estão formando a percepção de quem elas são e do mundo em que estão”

  • Renata Meirelles, Educadora e Pesquisadora do Brincar – Brasil

“A essência da criança está no brincar. Descobrindo coisas novas sem um objetivo final, a própria criança é o objetivo da brincadeira”

  • Simona Bonilauri, Pedagoga em Reggio Emilia – Itália

“A criança em contato com a natureza explora toda a sua corporeidade”

  • Simona Spaggiari, Atelierista na cidade italiana de Reggio Emilia – Itália

“O contato com a natureza é um belo instrumento que ajuda na construção do homem”

  • Stanislav Grof, Psicanalista e um dos criadores da Psicologia Transpessoal – Estados Unidos

“O nascimento é o primeiro grande desafio vencido para a criança, ela já é um grande herói ou heroína. A relação que a criança tem com mãe determina o mundo pelo qual ela vai entrar”

  • Vea Vecchi, Atelierista de Reggio Emilia – Itália

“Cada criança que nasce é uma ‘espécie de surpresa para humanidade’, por isso temos que acolher cada recém nascido com esse espírito”

  • Vera Cordeiro, Médica e Fundadora da Fundação Saúde Criança – Brasil

“Como a gente pode pensar em um mundo de paz, de colaboração e de bem-aventurança onde o começo da vida não é levado em conta?”

  • Vera Iaconelli, Psicanalista e diretora do Instituto Brasileiro de Psicologia Perinatal Gerar – Brasil

“O ambiente da criança tem que ser o ambiente dos pais. Muitas vezes eles se preocupam em criar para ela um quarto cheio de brinquedos pedagógicos e na verdade a experiência mais rica é experimentar brincar com as panelas da casa, associar objetos diferentes em brincadeiras”

 

Resumo

O filme "O começo da vida" costura depoimentos de especialistas em desenvolvimento infantil e de famílias das mais diversas culturas, etnias e classes sociais, para construir uma delicada e informativa narrativa.
Ir para o início
Alguma dica ou sugestão? Encontrou um erro? Clique aqui e compartilhe com a gente!

Tenha Lunetas no seu e-mail